Petróleo estável após Trump ameaçar Irã

jul 23, 2018

A cotação do petróleo bruto dos EUA permanecia estável nesta segunda-feira após o presidente dos EUA, Donald Trump, ter advertido o Irã pelo Twitter na noite de domingo.

Os contratos futuros do petróleo West Texas avançavam 0,31% para US$ 68,47 o barril às 11h42. Além disso, os contratos futuros de petróleo Brent, referência para preços do petróleo fora dos EUA, subiam 0,63% e eram negociados a US$ 73,53 o barril.

Os preços subiram mais cedo na sessão depois que Trump ter alertado o presidente iraniano, Hassan Rouhani, no domingo para "nunca mais ameaçar os EUA novamente", ou o Irã "sofreria as consequências".

O tuite foi uma resposta aos comentários de Rouhani, que disse que políticas hostis levariam à "mãe de todas as guerras".

Os EUA ameaçaram bloquear o comércio de petróleo com o Irã depois que Trump se retirou do acordo nuclear com Teerã.

Enquanto isso, a preocupação com a tensão comercial também impulsionava os preços, com a reunião dos ministros de finanças e de dirigentes de bancos centrais das 20 maiores economias do mundo ter sido encerrada com uma convocação para negociações a respeito do comércio e de tensões geopolíticas.

"Os riscos negativos a curto e médio prazo aumentaram", disseram os líderes financeiros em um comunicado.

A notícia compensou a preocupação com as perdas de produção e a falta de aumento de oferta para atender a demanda. Na semana passada, o número de plataformas de petróleo nos Estados Unidos teve redução de cinco, a maior redução desde março, diminuindo a contagem para 858, informou a Baker Hughes na sexta-feira. Ainda assim, o número de sondas em atividade nos EUA, um indicador da produção futura, é maior do que no ano passado, quando apenas 764 sondas estavam ativas.

Em outras negociações de energia, os contratos futuros de gasolina RBOB avançavam 0,71% para US$ 2,0801 o galão, ao passo que o óleo de aquecimento tinha ganhos de 0,73% e era negociado a US$ 2,1197 o galão. Os contratos futuros de gás natural estavam em baixa de 1,17% e eram negociados a US$ 2,695 por milhão de unidades térmicas britânicas.