Petrobras tem leve alta após anunciar hedge para gasolina; decisão divide analista

set 06, 2018

No começo da manhã desta quinta-feira na bolsa paulista, as ações da Petrobras (SA:PETR4) operam com valorização de 0,75%, a 18,79, em dia que positivo para o mercado de ações e também para a cotação do petróleo.

A diretoria executiva da estatal aprovou um mecanismo de hedge complementar visando dar flexibilidade à gestão da política de preços da gasolina, para ter a opção de ampliar a periodicidade dos reajustes diários em momentos de volatilidade e sem incorrer em perdas financeiras.

Para o Itaú BBA, a notícia é neutra, citando que a estratégia, se efetivamente empregada, reduziria a volatilidade dos preços da gasolina para o consumidor final. O analista André S. Hachem ponderou em nota a clientes que a sua principal incerteza será em relação a como essa estratégia será empregada, “já que provavelmente não sabemos a estrutura das posições de hedge enquanto os preços estão congelados”.

Por outro lado, o analista Gabriel Francisco, da XP Investimentos, o fato é negativo e deve ser entendido com um retrocesso na política de preços, uma vez que a empresa ficaria menos exposta a perdas em momentos de volatilidade do petróleo e do dólar.

A Petrobras informou que é importante implementar mecanismos que lhe permitam ter a opção de alterar a frequência dos reajustes diários do preço da gasolina no mercado interno, podendo até mantê-lo estável por curtos períodos de tempo, de até 15 dias, “conciliando seus interesses empresariais com as demandas de seus clientes e agentes de mercado em geral”.

Conforme a estatal, o mecanismo de hedge poderá ser aplicado em momentos de elevada volatilidade no mercado, de forma a conferir um resultado financeiro equivalente ao que seria obtido com a atual prática de reajustes diários, que continua também como opção da companhia.

“Os princípios de preço de paridade internacional (PPI), margens para remuneração dos riscos inerentes à operação e nível de participação no mercado continuam em vigor, assim como a correlação com as variações do preço da gasolina no mercado internacional e a taxa de câmbio”, informou a Petrobras no comunicado.

Com Reuters.