Ouro cai devido a rendimentos mais fortes de títulos

mai 18, 2018

Investing.com - A cotação do ouro estava em baixa na sexta-feira, contida pelos crescentes rendimentos dos títulos do Tesouro e por um dólar mais forte.

Na divisão Comex da Bolsa Mercantil de Nova York, contratos futuros de ouro recuavam 0,12% para US$ 1.287,90 a onça troy por volta das 05h33.

O preço do metal era conduzido para baixo devido à alta da moeda norte-americana e ao aumento dos rendimentos dos títulos do país.

O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais moedas, recuava 0,02% para 93,37, mas ainda permanecia próximo à máxima de cinco meses.

O ouro é cotado na moeda norte-americana e é sensível a movimentos do dólar. O metal se torna mais caro para detentores de outras moedas quando o dólar sobe.

Além disso, o metal precioso era contido pelo aumento dos rendimentos dos títulos. O rendimento do título norte-americano com vencimento em dez anos, tomado como referência, estava em 3,100 após ter atingido 3,126 na quinta-feira.

O aumento dos rendimentos dos títulos, combinado com dados econômicos positivos e o fortalecimento da inflação, aumentou as expectativas de que o Federal Reserve irá endurecer a política monetária.

O Fed elevou as taxas de juros em março e deverá realizar mais dois aumentos ainda neste ano, com alguns investidores esperando um terceiro aumento.

Expectativas de taxas de juros mais altas tendem a impulsionar o dólar por tornarem a moeda norte-americana mais atrativa a investidores que buscam bons rendimentos.

Taxas de juros mais altas são ruins para o ouro uma vez que o metal precioso, que não paga juros, luta para competir com ativos com melhores rendimentos quando as taxas de juros sobem.

Ainda na divisão Comex, contratos futuros da prata tinham queda de 0,31% e eram negociados a US$ 16,430 por onça troy. Quanto a outros metais preciosos, a platina recuava 0,56% para US$ 887,10, enquanto o paládio caía 0,44% e era negociado por US$ 973,20 a onça. Contratos futuros do cobre recuavam 0,71% para US$ 3,067 a libra.