Futuros do Ibovespa inicia sessão desta quarta-feira com desvalorização

out 17, 2018

Após encerrar a sessão de ontem com ganhos expressivos, puxado pela cena externa e pela corrida eleitoral, o índice futuro do Ibovespa abre a jornada de hoje com perdas de 0,50% aos 86.222 pontos.

Os índices acionários chineses fecharam em alta nesta quarta-feira, sustentados por ganhos em ações de infraestrutura e empresas de serviços públicos. A maioria dos setores registrou ganhos.

No entanto, as empresas de saúde ampliaram as perdas devido às preocupações dos investidores com as possíveis consequências de um escândalo de vacinas na Changsheng Bio-technology, com o índice que rastreia as principais empresas do setor chegando a recuar 2,1 por cento, para uma mínima de 13 meses.

Na agenda econômica americana, as atenções estão voltadas para a divulgação de alguns índices de destaque, como é o caso do número de casas iniciadas, dos estoques de petróleo e também a ata da última reunião do Fomc.

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) subiu 1,43 por cento em outubro, ante elevação de 1,20 por cento no mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quarta-feira.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo registrou avanço de 0,52 por cento na segunda quadrissemana de outubro, depois de ter subido 0,43 por cento na primeira leitura do mês, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta quarta-feira.

O IPC-Fipe mede as variações quadrissemanais dos preços às famílias paulistanas com renda mensal entre 1 e 10 salários mínimos.

Aqui, o mercado deve seguir o rali eleitoral, na espera de novas pesquisas, que devem confirmar o favoritismo de Jair Bolsonaro (PSL) contra Fernando Haddad (PT).

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 1,29 por cento, a 22.841 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG permaneceu fechado. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,60 por cento, a 2.561 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,56 por cento, a 3.118 pontos.

Na Europa, com os mercados em operação, a quarta-feira é marcada, mais uma vez, por rumos distintos, com o DAX, de Frankfurt, recuando 0,39% aos 11.730,41 pontos, enquanto o FTSE, de Londres, soma 0,24% aos 7.077,25 pontos. Já em Paris, o CAC perde 0,03% aos 5.171,23 pontos.

Commodities

A jornada desta quarta-feira na bolsa de mercadorias de Dalian, na China, foi marcada por uma forte recuperação dos preços dos contratos futuros do minério de ferro. O ativo com maior volume de negócios, para janeiro do próximo ano, encerrou com ganhos de 2,75% a 524,00 iuanes por tonelada, tendo variado positivamente 14,00 iuanes na sessão.

Já na também chinesa bolsa de mercadorias de Xangai, a sessão também foi positiva para os principais contratos do vergalhão de aço. O papel de maior liquidez, também para janeiro de 2019, teve ganhos de 60 iuanes para um total de 4.197 iuanes por tonelada. Já o segundo mais negociado, para maio do ano que vem, a valorização foi de 15 iuanes para um total de 3.838 iuanes por tonelada do produto.

No caso do petróleo, o dia é de perdas nos preços nos mercados internacionais. O barril do tipo WTI, negociado em Nova York, recua 0,58%, ou US$ 0,42 a US$ 71,50, enquanto que o Brent, de Londres, cai 0,37%, ou US$ 0,30 a US$ 81,11.

Mercado Corporativo

O Senado rejeitou nesta terça-feira o projeto de lei que ajudaria na privatização de distribuidoras da Eletrobras (SA:ELET3), especialmente a unidade do Amazonas, cujo leilão está previsto para 25 de outubro.

O Ministério do Planejamento afirmou que, se a venda das distribuidoras não ocorrer, "o caminho natural é a dissolução das companhias", o que pode gerar custos bilionários para a Eletrobras.

"No caso da dissolução da distribuidora de energia do Amazonas, o custo de liquidação que poderá ser suportado pela Eletrobras passa de 13 bilhões de reais, isto sem levar em consideração todos os passivos possíveis (não provisionados)", afirmou o ministério.

O Carrefour (SA:CRFB3) Brasil informou nesta terça-feira que as vendas brutas do grupo cresceram 5,1 por cento no terceiro trimestre, considerando a mesma base de lojas de um ano antes.

Usando também a mesma base comparável, mas por unidade de negócios, as vendas do Atacadão cresceram 6,2 por cento no período, enquanto as do Carrefour avançaram 3 por cento (com gasolina).

O faturamento do grupo, incluindo as redes Carrefour e Atacadão, somou 13,97 bilhões de reais de julho a setembro, aumento de 8,1 por cento. Excluindo gasolina, as vendas avançaram 8,3 por cento. Por segmentos, o Atacadão teve alta de 11,2 por cento nas vendas totais, para 9,47 bilhões de reais, enquanto o Carrefour registrou avanço de 2,2 por cento, para 4,5 bilhões de reais.

De janeiro a setembro, as vendas consolidadas do grupo somaram 40,5 bilhões de reais incluindo gasolina, alta de 6,6 por cento ante mesma etapa de 2017.

A mineradora Vale (SA:VALE3) informou nesta terça-feira que prevê obter um fluxo de caixa livre (excluindo desinvestimentos) de aproximadamente 10 bilhões de dólares em 2018, o que seria quase o triplo dos 3,4 bilhões de dólares do ano passado, segundo fato relevante.

Com os ganhos impulsionados pelo prêmio que vem sendo pago pelo seu minério de ferro de alta qualidade, a companhia disse ainda que utilizará seu fluxo de caixa livre de "forma prudente", prevendo destinar 30 por cento do Ebitda para dividendos mínimos e o restante para dividendos extraordinários e aquisições.

"Um fluxo de caixa saudável será gerado nos próximos anos... permitindo reduziu o endividamento e construir as bases para uma nova era na remuneração dos acionistas", afirmou a apresentação da companhia.

A Cyrela (SA:CYRE3), uma das maiores incorporadoras do mercado imobiliário brasileiro, elevou em 72,7 por cento os lançamentos no terceiro trimestre ante igual período do ano passado, para 918 milhões de reais, informou a companhia nesta terça-feira.

Do total, 711 milhões de reais corresponderam a empreendimentos da própria Cyrela e os demais 207 milhões foram de parceiros. Ainda segundo a prévia operacional, a companhia lançou no trimestre encerrado em setembro 12 projetos, sendo 7 na cidade de São Paulo, 3 no Rio de Janeiro e 1 em Campinas.

Já as vendas líquidas contratadas cresceram 29,2 por cento no período, para 943 milhões de reais, dos quais 419 milhões correspondiam a imóveis para alta renda e 523 milhões eram de médio padrão e voltados ao programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

A participação da Cyrela nas vendas contratadas foi de 73 por cento no terceiro trimestre, ante 76 por cento um ano antes. Conforme a companhia, 17 por cento dos imóveis vendidos eram do estoque pronto, enquanto 35 por cento estavam em construção e 48 por cento eram lançamentos.

A operadora brasileira de meios de pagamento Stone entrou nesta terça-feira com um pedido de oferta pública inicial de ações (IPO) na Nasdaq, em uma operação que pode levantar até 1,1 bilhão de dólares e atrair o conglomerado do investidor bilionário Warren Buffett, a Berkshire Hathaway.

A Berkshire Hathaway e alguns dos atuais acionistas da Stone manifestaram interesse de comprar até quase metade das 47,7 milhões de ações que serão oferecidas no IPO, segundo o prospecto da operação.

Os coordenadores do IPO definiram os preços da operação entre 21 e 23 dólares por ação, o que pode permitir à Stone atingir um valor de mercado de até 6,2 bilhões de dólares em sua estreia na Nasdaq.

Outros acionistas da Stone incluem a empresa de investimentos dos bilionários brasileiros Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira, a 3G Capital, que já fez parceria com a Berkshire Hathaway na compra do controle da gigante norte-americana de alimentos Kraft Heinz.

Agenda de Autoridades

O presidente Michel Temer reserva a parte da manhã desta quarta-feira para despachos internos em seu gabinete em Brasília. De tarde, participa da solenidade de entrega da Ordem Nacional do Mérito Científico.

Já o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, participa nesta quarta-feira de reunião com representantes da Empresa Gestora de Ativos – EMGEA.

Com Reuters.