Commodities - Petróleo WTI amplia perdas após a aumento surpreendente nos estoques

jul 05, 2018

Investing.com - O petróleo West Texas Intermediate ampliava as perdas nas negociações desta quinta-feira na América do Norte, após dados mostrarem um aumento inesperado nos estoques norte-americanos.

Os contratos de petróleo bruto com vencimento em agosto na Bolsa Mercantil de Nova York recuavam US$ 0,86, ou cerca de 1,2%, e o barril era negociado a US$ 73,28 às 12h02, em comparação a US$ 74,05 antes do relatório.

A Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês) afirmou em seu relatório semanal que os estoques de petróleo bruto tiveram aumento de 1,245 milhão de barris na semana que se encerrou em 29 de junho. Analistas de mercado esperavam que os estoques de petróleo bruto tivessem redução de 5,200 milhões de barris, ao passo que o Instituto Americano de Petróleo informou na quarta-feira uma diminuição de 4,500 milhões de barris no abastecimento.

O Estoque em Cushing, Oklahoma, o principal ponto de entrega para o petróleo bruto da Nymex, teve redução de 2,113 milhões de barris na última semana, informou a EIA. O total dos estoques de petróleo bruto nos EUA ficou em 417,9 milhões de barris na semana passada, o que a EIA considera estar "cerca de 2% abaixo da média de cinco anos para esta altura do ano".

O relatório também mostrou que os estoques de gasolina tiveram redução de 1,505 milhão de barris, em comparação a expectativas de 0,817 milhão de barris de redução, ao passo que estoques de destilados tiveram redução de 0,134 milhão de barris, em comparação a projeções de 0,545 milhão de barris de redução.

O relatório foi divulgado um dia após o normal devido ao feriado do Dia da Independência dos EUA na quarta-feira.

Do outro lado do Atlântico, os contratos de petróleo Brent com vencimento em setembro na Bolsa de Futuros ICE (ICE Futures Exchange) em Londres tinham queda de US$ 0,85, ou 1,1%, e eram negociados por US$ 78,39 o barril às 12h08, em comparação a US$ 78,35 antes da divulgação do relatório.

Também em foco, na quarta-feira, via Twitter, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu aos maiores países produtores de petróleo do mundo que façam mais para estabilizar os mercados de petróleo e reduzir os preços.

Seus comentários foram feitos apenas alguns dias depois que os EUA e a Arábia Saudita analisaram a possibilidade de que o reino liberasse mais do seu próprio petróleo para reduzir os preços.

O rei saudita Salman concordou que o país, a seu critério, acrescentaria mais de sua produção ao mercado. Os sauditas, no entanto, não especificaram nenhuma meta de produção.

A Opep, em conjunto com um grupo de produtores externos à organização liderados pela Rússia, começou a conter a produção em 2017 para sustentar os preços, mas recentemente decidiu aumentar a produção para cobrir a escassez de oferta de países como Líbia, Venezuela e Angola.

As iminentes sanções dos EUA contra o Irã, importante exportador de petróleo, também receberam alguma atenção, já que o governo dos EUA disse que quer impedir as exportações de petróleo do Irã para o mercado a partir de novembro.

Ainda na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos futuros de gasolina com vencimento em agosto recuavam US$ 0,009 para US$ 2,1230 o galão às 12h11, ao passo que os contratos futuros de óleo de aquecimento com vencimento em agosto subiam US$ 0,012 e eram negociados por US$ 2,1759 o galão.