Com exterior pesando, Ibovespa futuro inicia sessão com perdas

ago 01, 2018

Assim como os mercados internacionais nesta quarta-feira, o índice futuro do Ibovespa inicia a sessão com perdas, recuando 0,28% aos 79,008 pontos. A tendência também se mostra negativa nos índices futuros de Wall Street. A preocupação dos investidores voltou a ser com a disputa entre Estados Unidos e China.

O governo Trump pretende impor tarifas de 25 por cento sobre 200 bilhões de dólares em produtos importados da China depois de inicialmente taxá-los em 10 por cento, em uma tentativa de pressionar Pequim a fazer concessões comerciais, disse uma fonte familiarizada com o assunto na véspera.

A China disse nesta quarta-feira que "chantagem" não funcionará e que retaliará se os Estados Unidos tomarem outras medidas que dificultem o comércio, conforme o governo Trump considera uma taxação de 25 por cento sobre os 200 dólares bilhão de mercadorias chinesas.

A proposta aumentaria a alíquota de 10 por cento que o governo havia inicialmente proposto em 10 de julho para essa onda de impostos, numa tentativa de pressionar Pequim a fazer concessões comerciais, disse uma fonte familiarizada com o plano na véspera.

Bolsas Internacionais

Os principais mercados asiáticos fecharam a sessão desta quarta-feira com perdas, com a exceção ficando para o índice Nikkei de Tóquio, que avançou 0,86%, aos 22.746,70 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng perdeu 0,85% aos 28.340,74 pontos. Entre os índices chineses, o Shanghai recuou 1,80% aos 2.824,53 pontos, enquanto o SZSE Component perdeu 1,89% aos 9.005,37 pontos.

Na Europa, com os mercados em operação, o dia também se mostra negativo. Em Frankfurt, o DAX tem perdas de 0,52% aos 7.738,37 pontos, com o FTSE recuando 1,22% aos 7.664,56 pontos. Em Paris, o CAC cai 0,20% aos 5.506,39 pontos.

Commodities

Os contratos futuros do minério de ferro fecharam a sessão desta quarta-feira, na bolsa chinesa de mercadorias de Dalian, negociados com queda de 2,66% a 475,00 iuanes por tonelada do produto, com a data de vencimento no mês de setembro deste ano. A variação diária na cotação foi de 13,00 iuanes

Para o vergalhão de aço, com os ativos sendo transacionados na bolsa de mercadorias de Xangai, a sessão também foi negativa. O ativo de maior liquidez, para outubro deste ano, teve queda de 17 iuanes, para um total de 4.139 iuanes por tonelada. Já o segundo papel com maior volume de negócios, para janeiro do ano que vem, as perdas foram de 41 iuanes, para um total de 3.943 iuanes por tonelada.

A sessão também é negativa para os contratos do petróleo nos mercados internacionais. O barril do tipo WTI é negociado em Nova York com perdas de 1,12%, ou US$ 0,77, a US$ 67,99. Já o barril do tipo Brent, referência em Londres, recua 1,21%, ou US$ 0,90, a US$ 73,31.

Mercado Corporativo

A Ultrapar Participações (SA:UGPA3) disse que vai recorrer de decisão de primeira instância da Justiça de Brasília que bloqueou 156 milhões de reais em contas correntes de sua distribuidora de combustíveis Ipiranga, em processo envolvendo dois ex-empregados da distribuidora.

A Ultrapar disse, em comunicado divulgado na noite de terça-feira, que a Ipiranga não é parte do processo e que recorrerá da decisão. A denúncia contra revendedores e empregados de distribuidoras de combustíveis foi apresentada pelo Ministério Público do Distrito federal e acolhida pelo 1ª Vara Criminal de Brasília.

A empresa de alimentos BRF (SA:BRFS3) informou nesta terça-feira que seu conselho de administração aprovou no último dia 20 uma proposta de seu credor Banco do Brasil (SA:BBAS3) para reestruturar um financiamento de 3,225 bilhões de reais.

Segundo comunicado, a proposta envolve uma rolagem de dívida e novas captações para prazos de até três anos.

No começo de julho, a empresa havia anunciado acordo de refinancimento de cerca de 1,1 bilhão de reais com o Bradesco (SA:BBDC4). Com os acordos, a BRF refinanciou 4,3 bilhões de reais, incluindo a maior parte dos vencimentos deste ano e boa parte do que teria que pagar em 2019.

A empresa de programas de fidelidade Smiles (SA:SMLS3) teve queda no lucro do segundo trimestre, refletindo o recuo nas receitas com milhas expiradas sem resgate e o forte aumento das despesas operacionais.

A empresa, que gerencia o programa de recompensas da sua controladora, a companhia aérea Gol (SA:GOLL4), anunciou nesta terça-feira que teve lucro líquido de 114,2 milhões de reais no período, queda de 20,7 por cento ante mesma etapa de 2017.

O resultado medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi de 134,9 milhões de reais entre abril e junho, um declínio de 20,8 por cento ano a ano. A margem Ebitda caiu 10,2 pontos percentuais no comparativo anual, para 68,1 por cento.

A transmissora de energia Cteep reportou nesta terça-feira lucro líquido de 342,4 milhões de reais no segundo trimestre de 2018, crescimento de 353,7 por cento na comparação com o igual período do ano passado, decorrente de indenizações pagas pela União devido à renovação antecipada de contratos de concessão (RBSE).

No segundo trimestre, o total de receita com RBSE somou 497,3 milhões de reais.

O Ebitda ajustado da Cteep, transmissora controlada pela colombiana Isa, atingiu 683 milhões de reais no período, aumento de 253,1 por cento ante o segundo trimestre de 2017.

A fabricante de papel e celulose Suzano (SA:SUZB3) anunciou que seu conselho de administração aprovou reduzir, de 6,9 bilhões para 4,4 bilhões de dólares, o financiamento da parcela em dinheiro na combinação de negócios com Fibria (SA:FIBR3).

Segundo fato relevante, os valores referem-se a compromissos financeiros com bancos internacionais para financiar a parcela em dinheiro da operação.

De acordo com Suzano, a redução foi possível devido a uma emissão de debêntures equivalente a 1,25 bilhão de dólares e uma emissão de nota de crédito de exportação equivalente a 200 milhões de dólares.

Agenda de Autoridades

A quarta-feira do presidente Michel Temer tem início com a retirada de foto oficial com Maria Rita Pontes, superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce; e Lucrécia Savernini, gestora de saúde das Obras Sociais Irmã Dulce. Em seguida, participa da 3ª reunião do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CCT), evento seguido de almoço.

Na parte da tarde, se reúne com Wilson Mello Neto, presidente do Conselho Diretor da Associação Brasileira da Indústria de Alimentação (ABIA); João Dornellas, presidente executivo da Associação Brasileira da Indústria da Alimentação (ABIA); Mônica Messemberg, diretora de relações institucionais da Confederação Nacional da Indústria (CNI); Alexandre Jobim, diretor presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e Bebidas não Alcoólicas (ABIR); e Gilberto Occhi, ministro de Estado da Saúde; Francisco de Assis Figueiredo, secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde.

Ainda na parte da tarde, Temer tem reuniões Rossieli Soares da Silva, ministro de Estado da Educação, em seguida com Reginaldo Arcuri, presidente executivo do Grupo FarmaBrasil; e Adriana Diaféria Marwell, vice-presidente executiva do Grupo FarmaBrasil. O presidente fecha o dia com encontro com Márcio Lopes de Freitas, presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

O dia do ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, é mais tranquilo, tendo como único compromisso público oficial a audiência com José Berenguer, presidente do JP Morgan Brasil.

Com Reuters.