Cesp avança com governo paulista marcando leilão para venda da estatal

jul 10, 2018

As ações da Companhia Energética de São Paulo (Cesp (SA:CESP6)) operam com valorização de 1,63% a R$ 16,87, no começo da manhã desta terça-feira na B3. No final de semana, o governo paulista publicou edital para venda da estatal paulista, marcado para o dia 2 de outubro, por um preço mínimo de R$ 14,30, o que representa um total de R$ 4,7 bilhões.

O preço mínimo por ação é inferior ao de R$ 16,80 estipulado em agosto do ano passado, o que deve atrair mais interessados pelo bloco de controle do governo paulista na elétrica. De acordo com o documento, a hidrelétrica de Porto Primavera, considerado o principal ativo da companhia, terá um novo contrato de concessão, expirando em 2048, e não mais em 2028.

Pelo edital, o novo controlador ficará obrigado a pagar na liquidação do leilão uma quantia adicional ao preço final do leilão de R$ 8,6 milhões para compensar as ações da oferta aos empregados com deságio.

Para a Coinvalores, além do preço, o edital da privatização traz algumas mudanças importantes, como a garantia de que a usina Porto Primavera, principal ativo da companhia, terá sua concessão, que vence em 2028, renovada até 2048, mediante o pagamento de outorga de no mínimo R$ 1 bilhão (o ágio oferecido no preço por ação será incorporado ao valor da outorga).

Outra mudança, destacam os analistas, é que foi excluída a cláusula que repassava ao governo do Estado de São Paulo potenciais ganhos com indenizações pelas usinas não amortizadas que foram devolvidas à União, cuja estimativa da companhia é de aproximadamente R$ 10 bilhões. Portanto, a expectativa da corretora é que dessa vez o leilão seja bem-sucedido.

Na Visão da XP Investimentos, as condições mais atrativas do leilão devem aumentar o número de interessados na Cesp, aumentando a probabilidade de que a privatização ocorra. Focando especificamente na extensão da concessão de Porto Primavera, destaca que a mesma necessita de aval do TCU, e o tribunal já pautou para quarta-feira discussão sobre o tema.

A Cesp opera três hidrelétricas em São Paulo, mas Porto Primavera responde sozinha pela maior parte dos cerca de 1,65 gigawatts do portfólio da empresa.

Com Reuters.