Seguindo exterior, futuros do Ibovespa iniciam sessão desta segunda-feira em queda

set 24, 2018

Em sessão marcada por perdas nos mercados internacionais, com as bolsas asiáticas fechadas por um feriado local, o índice futuro do Ibovespa abre a sessão desta segunda-feira com perdas de 0,31% aos 79.115 pontos. A disputa comercial entre Estados Unidos e China, além da corrida eleitoral, devem ditar o rumo dos negócios.

Os investidores permaneceram focados na guerra comercial entre China e EUA uma vez que os chineses acresceram 60 bilhões de dólares em produtos norte-americanos a sua lista de tarifas de importações, retaliando contra taxas dos EUA sobre 200 bilhões de dólares em bens chineses que entraram em vigor nesta segunda-feira.

A China também cancelou negociações comerciais com os EUA, além de uma visita proposta a Washington do vice-premiê Liu He que havia sido marcada para esta semana, noticiou o Wall Street Journal.

Na cena externa, o principal foco de atenção será a reunião do Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve (Fomc), que na quarta-feira deve anunciar a elevação dos juros básicos da economia dos EUA de 1,75% a 2,00% para de 2,00% a 2,25%. A expectativa fica para o relatório de estimativas que será divulgado após a reunião, de onde será possível confirmar, ou não, a tendência, de uma nova alta na reunião de dezembro.

No campo local a semana deve ser mais uma vez movimentada pela corrida eleitoral, com a tendência das pesquisas de intenção de voto indicar a consolidação de um segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Pela manhã, a pesquisa FSB/BTG mostra Bolsonaro em primeiro, com 33% das intenções de voto, mesmo percentual da pesquisa da última semana, contra o crescimento de Haddad de 16% para 23%. No levantamento do segundo turno, o deputado e o ex-prefeito de São Paulo estariam tecnicamente empatados no limite da margem, respectivamente, com 44% e 40%. Na pesquisa anterior, Bolsonaro tinha 46% e Haddad 38%.

Uma nova rodada de pesquisas é esperada para os próximos dias, com o Ibope saindo na noite de hoje e, na sexta-feira, uma nova edição da XP/Ipespe.

A confiança do consumidor brasileiro diminuiu em setembro pelo segundo mês seguido devido a piora das expectativas para os próximos meses em meio à frustração com a recuperação lenta do mercado de trabalho, informou nesta segunda-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com queda de 1,7 ponto em relação a agosto, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) chegou em setembro a 82,1 pontos, voltando ao nível de junho, quando a confiança havia sido abalada pela greve dos caminhoneiros do mês anterior.

"O resultado parece estar diretamente relacionado à situação financeira das famílias e à lenta recuperação do mercado de trabalho. Apesar de adicionar dúvidas, o cenário político-eleitoral não parece ser o principal fator para a queda do indicador em setembro", disse a coordenadora da Sondagem do Consumidor, Viviane Seda Bittencourt, em nota.

A atividade econômica no Brasil atualmente vem apresentando um ritmo fraco de crescimento, marcada pelo desemprego em dois dígitos e ampla capacidade ociosa.

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) registrou alta de 0,32 por cento na terceira quadrissemana de setembro, contra avanço de 0,19 por cento na segunda prévia do mês, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira.

O resultado teve como principal contribuição o grupo Transportes, que passou a subir 0,64 por cento no período, de 0,05 por cento antes.

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei permaneceu fechado. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,62 por cento, a 27.499 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC não abriu. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, não teve operações.

Na Europa, com os mercados abertos, o dia mostra-se negativo para a maior parte das praças. Em Frankfurt, o DAX recua 0,29% aos 12.394,34 pontos, enquanto que em Londres o FTSE perde 0,20% aos 7.475,98 pontos. Já em Paris, o CAC cai 0,20% aos 5.483,40 pontos

Commodities

Devido a ao feriado do Festival da Lua, a bolsa de mercadorias de Dalian, na China, não operou nesta segunda-feira. Com isso, os últimos negócios foram realizados na sexta-feira, quando os contratos futuros do minério de ferro encerram o dia em queda de 0,40% a 501,00 iuanes para cada tonelada da commodity, representando uma variação diária de 2,00 iuanes.

Apesar do feriado, os contratos do vergalhão de aço são transacionados normalmente na bolsa de mercadorias de Xangai. O ativo de maior liquidez, para janeiro de 2019, apresenta ganhos de 6 iuanes a 4.149 iuanes por tonelada do produto. O segundo papel em volume de negócios, para maio de 2019, teve alta de 9 iuanes para 3.886 iuanes por tonelada.

A cotação do petróleo segue em alta nos mercados internacionais. O barril do tipo WTI é negociado com valorização de 1,68%, ou US$ 1,19, a US$ 71,97 em Nova York. Do outro lado do oceano, em Londres, o Brent tem alta de 2,35%, ou US$ 1,84, a US$ 80,08.

Mercado Corporativo

Dois dos maiores grupos supermercadistas da França entraram em uma disputa nesta segunda-feira, depois que o Casino anunciou ter rejeitado uma tentativa de fusão do maior rival Carrefour (SA:CRFB3) que o Carrefour negou ter feito.

Duas fontes com conhecimento do assunto disseram à Reuters que houve uma reunião em 12 de setembro entre o presidente-executivo do Carrefour, Alexandre Bompard, e o presidente-executivo do Casino, Jean-Charles Naouri, para discutir uma ampla gama de tópicos sobre oportunidades para os dois.

No entanto, uma fonte do governo francês disse que o governo - que normalmente se espera que poderia ser notificado - não estava ciente de qualquer negociação de fusão entre as empresas.

Os grupos de supermercados da França estão procurando maneiras de aumentar os lucros depois de uma prolongada guerra de preços em casa, e também estão sob pressão para se modernizarem para combater os movimentos da gigante online Amazon (NASDAQ:AMZN) e outros no setor.

Uma chamada pública aberta em agosto por 12 distribuidoras de gás natural do Nordeste, Centro-Oeste e Sul, em busca de novos ofertantes do insumo, além da Petrobras (SA:PETR4), tem um potencial para gerar negócios de cerca de 11 bilhões de dólares, de acordo com estudo desenvolvido pela Wood Mackenzie, ao qual a Reuters teve acesso com exclusividade.

A concorrência foi lançada pelas distribuidoras em um movimento inédito que visa garantir os contratos para atender à demanda de seus consumidores a partir do final de 2019, quando expiram acordos de muitas dessas empresas junto à petroleira brasileira de controle estatal.

O sucesso completo da iniciativa, no entanto, depende de reformas regulatórias colocadas em curso pelo governo federal e pela agência reguladora do setor de óleo e gás (ANP), que poderá permitir a entrada dos novos ofertantes de gás, como as gigantes que hoje atuam no pré-sal, disse à Reuters o analista de Gás e GNL da consultoria para a América Latina, Mauro Chavez.

A colheita de soja 2018/19 no Paraná, segundo produtor da oleaginosa do Brasil, deverá começar ao final de dezembro, bem mais cedo do que o registrado na safra anterior, beneficiando um mercado que estará com estoques mínimos após uma forte demanda da China, disse o analista Fernando Muraro, da AgRural, nesta sexta-feira à Reuters.

A avaliação foi feita após a AgRural divulgar o plantio de soja mais antecipado da história, segundo série da consultoria que tem 12 anos, com boa umidade no solo após chuvas permitindo uma semeadura acelerada.

O Paraná tem uma safra de soja estimada pelo governo do Estado em quase 20 milhões de toneladas, de um total recorde de 120,3 milhões de toneladas previstas pela AgRural para o Brasil, o maior exportador global da oleaginosa.

A Sabesp (SA:SA:SBSP3) assinou nesta sexta-feira protocolo de intenções com a prefeitura de Guarulhos para prestação de serviços de abastecimento de água e esgoto no município, informou a companhia de saneamento paulista em comunicado.

Na véspera, a empresa havia antecipado o acordo, que prevê investimentos de 1,7 bilhão de reais por parte da Sabesp nos sistemas do município e isenta Guarulhos de pagar uma dívida de 3,2 bilhões de reais com a companhia.

O protocolo será válido por quatro meses ou até a celebração de documentos definitivos. A expectativa é de que um convênio definitivo seja assinado entre as partes em até 90 dias, segundo o fato relevante divulgado na quinta-feira.

A elétrica Cemig (SA:CMIG4) recebeu nesta sexta-feira notificação do BB-Banco de Investimento, da BV Financeira e do Banco Santander (SA:SANB11) sobre intenção das instituições de exercerem a opção de venda de participações na Rio Minas Energia Participações (RME), informou a companhia em nota ao mercado.

Segundo o comunicado, as três instituições querem exercer o direito de venda da totalidade das ações de suas propriedades representativas de 50 por cento do capital social votante e 25 por cento do capital social total da RME.

A RME é um veículo de investimento que detém 13,03 por cento de participação no capital social da Light (SA:LIGT3), controlada pela Cemig.

Agenda de Autoridades

Em viagem oficial para os Estados Unidos, o presidente Michel Temer participa nesta segunda-feira de almoço com empresários, oferecido pela US Chamber of Commerce, em Nova York.

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, que também está na cidade americana, acompanha Temer no almoço com empresários. Em seguida, participa de reunião com Jim Amine, CEO, ‘Investment Banking’ e Mercados de Capitais, Credit Suisse. O ministro retorna ao país no final do dia.

Com Reuters.