Petróleo fecha em alta com investidores de olho em dados de estoques

jul 24, 2018

Os preços do petróleo bruto fecharam em alta nesta terça-feira em meio à volatilidade com as incertezas sobre a oferta global com a troca de ameaças entre EUA e Irã e com investidores de olho nos dados de estoques.

Na Bolsa Mercantil de Nova York, o contrato futuro do WTI para entrega em setembro subiu 1%, para US$ 68,52 por barril, enquanto na Bolsa Intercontinental de Londres, o Brent subiu 0,3%, para encerrar o dia negociado a US$ 73,30 o barril.

Os preços do petróleo se recuperaram das perdas do dia anterior, com o foco do mercado se voltando para com a expectativa de que os estoque dos EUA caiam para a mínima de três anos. O consenso é de queda de 3,1 milhões de barris para semana encerrada em 20 de julho.

O grupo privado American Petroleum Institute divulga seu relatório às 17h30, seguido pelos dados oficiais da Energy Information Administration na quarta-feira às 11h30.

O menor volume estocado nos EUA e no exterior alimentam as apostas de que o a oferta poderá ficar abaixo da demanda global. Analistas apontam que, neste cenário, mesmo pequenas interrupções na produção de um país podem resultar em volatilidade "perigosa" no preço.

A capacidade ociosa global é "muito apertada, se não completamente ausente", disse Bob McNally, presidente do Rapidan Energy Group, a um painel do Senado dos EUA na terça-feira. Isso cria o potencial de movimentação brusca com paradas no Irã, da Venezuela e da Líbia.

A redução da exportação iraniana – em meio a sanções dos EUA que entrarão em vigor em em novembro – é vista por muitos como o maior risco para o fornecimento global. Analistas estimam que até 1 milhão de barris diários de petróleo iraniano podem ser eliminados do mercado.

Nos últimos dias, o presidente Donald Trump e seu homólogo iraniano, Hassan Rouhani, trocaram ameaças e elevaram o tom de uma possível ação bélica entre os países.