Moedas - Dólar cai depois do relatório de empregos

out 05, 2018

O dólar caia na sexta-feira, depois que o relatório de setembro de empregos mostrou-se mais baixo do que o esperado e a rentabilidade dos títulos do Tesouro de 10 anos subiu para o maior valor em sete anos.

O índice dólar, que mede a força da moeda em comparação com a cesta das seis principais moedas, caia 0,15%, para 95,329, às 10h05.

A economia criou menos empregos do que o esperado em setembro, mas o desemprego atingiu uma baixa de 48 anos, indicando que a economia poderia estar se estabilizando.

As folhas de pagamento não agrícolas (NFP, na sigla em inglês) aumentaram 134.000 comparado com as expectativas de um ganho de 185.000.

Os aumentos em folha de pagamento para agosto foram revisados ​​para 270.000 dos 201.000 inicialmente reportados, enquanto julho foi revisado para 165.000 de 147.000. A taxa de desemprego caia para 3,7%, um nível não visto desde 1969. Os ganhos médios por hora um número importante para medir a inflação, aumentaram 2,8% em setembro em relação ao ano anterior.

Enquanto isso, as expectativas para um aumento da taxa do Federal Reserve em dezembro subiram ligeiramente para 77,7%.

Após a divulgaçnao dos dados, o rendimento da referência título norte-americano com vencimento em dez anos, subia para 3.227%, um nível que não era visto desde 2011.

Em outros mercados, o euro estava um pouco mais alto, enquanto a libra esterlina subia em meio a relatos de que a União Européia e o Reino Unido estão nos estágios finais de negociação do Brexit.

O par EURO/dólar avançava 0,10% para 1,1525 e Libra/dólar aumentou 0,45% para 1,3078.

O dólar estava mais fraco frente ao iene, com o par USD/JPY recuando 0,07% para 113,80.

O dólar australiano estava em alta, com o par AUD/USD subindo 0,06%, para 0,7078, enquanto o par NZD/USD recuava 0,09%, para 0,6474.

O dólar canadense subia depois que a taxa de emprego ficou muito acima do esperado. O par USD/CAD recuava 0,02% para 1,2925.