Mercado de criptomoedas cai à mínima de 9 meses

ago 09, 2018

O Bitcoin e outros ativos digitais estavam em baixa nesta quinta-feira, levando o valor total de mercado ao menor valor desde novembro de 2017.

O bitcoin recuava 4,32% para US$ 6.242,80, mínima de um mês, na corretora Bitfinex às 09h25.

Criptomoedas estavam em baixa de forma geral. O valor de mercado das criptomoedas estava na mínima de nove meses de US$ 224 bilhões no momento da escrita dessa matéria.

O Ethereum, segunda maior criptomoeda em termos de capitalização de mercado, recuava 4,08% para US$ 354,43 na corretora Bitfinex. O Ripple, terceira maior criptomoeda, caía 5,63% e era negociado a US$ 0,33291 enquanto o Litecoin era negociado a US$ 60,48, queda de 9,24%.

A cotação das moedas digitais caiu na quarta-feira depois que a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês) adiou sua decisão sobre um fundo negociado em bolsa com base em criptomoedas. A SEC decidirá até o final de setembro se a VanEck Associates e a Solid Partners podem negociar seu ETF baseado em bitcoin, informou a agência na quarta-feira. A SEC já negou uma proposta similar do ETF em julho e nove outras propostas estão sendo consideradas pela agência.

As moedas digitais foram impulsionadas no início do mês devido à expectativa de que um ETF baseado em bitcoin pudesse ser aprovado neste ano. Alguns analistas alertam que um ETF de ativos digitais provavelmente não será aprovado antes de 2019.

Em outras notícias, a empresa de blockchain Tezos Foundation, ainda está sendo processada em uma ação civil que alega que a empresa violou as leis de valores mobiliários dos Estados Unidos. Uma moção para rejeitar o caso foi bloqueada por um juiz do tribunal federal na quarta-feira.

A Tezos é a primeira empresa de blockchain a ser atingida por ações judiciais coletivas. A oferta inicial de moeda das empresas levantou US$ 232 milhões em julho de 2017. Os réus argumentam que o ICO não se enquadra na SEC porque foi administrado pela empresa sediada na Suíça. No entanto, o juiz determinou que o envolvimento da empresa norte-americana Dynamic Ledger Solutions tornou as duas empresas interconectadas e não foi motivo para desconsiderar as regras da SEC.