Ibovespa cai com cautela internacional; dólar vai a R$ 3,68

mai 15, 2018

Money Times - O Ibovespa opera em queda de 0,70%, a 84.635 pontos, com os investidores reagindo a um momento de cautela no mercado internacional. O dólar sobe a R$ 3,68 em resposta ao avanço da moeda americana ante as principais moedas internacionais. A Petrobras (SA:PETR4) cai 0,15, a R$ 26,20, e a Vale (SA:VALE3) recua 1,36%, para R$ 53,53.

Os traders americanos de títulos da dívida dos EUA estão precificando um Federal Reserve ainda mais “falcão”, ou seja, com a probabilidade de três aumentos adicionais de juros neste ano, acima de 50%. Isso é mais do que os próprios diretores do Fed projetaram.

A rentabilidade do Tesouro de 10 anos superou 3,05% pela primeira vez em quatro anos. Os principais índices americanos também caem. Há instantes, o índice Dow Jones caía -0,74%, S&P 500 -0,79% e o Nasdaq 100 -0,88%.

O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, avançava 0,58% para 93,09 às 09h50, reaproximando-se de 93,26 máxima de quarta-feira que também é o maior valor desde 19 de dezembro.

As vendas no varejo americano subiram 0,3% em abril, em linha com o estimado pelos economistas consultados pelo site Briefing.com. O avanço de março foi revisto de 0,6% para 0,8%. Segundo o indicador, os preços crescentes da gasolina pesaram sobre os gastos da população.

Por aqui, o setor de serviços recuou 0,2% em março, na comparação com fevereiro, de acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Das cinco atividades investigadas, três tiveram variação negativa, com destaque para o segmento de serviços profissionais, administrativos e complementares, que caiu 1,8%.

Resultados

As ações da JBS (JBSS3 (SA:JBSS3)) sobem 2,1%, para R$ 9,22, após a empresa apresentar um crescimento de 43,5% no lucro líquido primeiro trimestre de 2018 e que chegou a R$ 506,5 milhões. O Ebitda foi de R$2.788,5 milhões, um aumento de 30,3% em relação ao ano anterior, com todas as unidades, exceto JBS Brasil, registrando crescimento no Ebitda. A margem aumentou de 5,7% para 7%.

“Os resultados vieram ligeiramente acima do esperado pelo mercado, algo que pode refletir de forma positiva na sessão desta 3ª. Destaque negativo para a divisão da JBS Brasil, que reportou margens negativas em meio aos custos crescentes e menor volume vendido após venda de parte de seus ativos à Minerva (SA:BEEF3). Por outro lado, destacamos o resultado positivo da Seara, e da JBS USA Carne Bovina, além da desalavancagem financeira da companhia”, aponta a Guide Investimentos em um relatório divulgado nesta manhã.

O lucro líquido da BR Malls (SA:BRML3) subiu 36% e chegou a R$ 150,4 milhões no primeiro trimestre de 2018 na comparação com um ano antes. A receita líquida totalizou R$ 299,2 milhões, apresentando uma redução de 9,5%. Quando desconsideradas as vendas de participação, a redução da receita líquida no trimestre foi de 2,7%. Os papéis sobem 1,8%, para R$ 10,25.

“Os resultados do primeiro trimestre foram pouco inspiradores. Apesar de alguns progressos nas métricas operacionais (nós gostamos do que vimos com taxa de inadimplência e ocupação), acreditamos que essa melhora se baseou principalmente nos altos descontos e na rotatividade da carteira (com aluguéis muito menores), o que pode impedir que a receita cresça por um tempo”, avalia o BTG Pactual (SA:BPAC11).

O lucro líquido da CSN (CSNA3) saltou 1.486% no primeiro trimestre de 2018 na comparação com o mesmo período do ano passado, para R$ 1,486 bilhão. O principal motivador para o crescimento foi o ganho auferido em atualização do valor justo das ações da Usiminas (SA:USIM5) que passaram a ser registradas no resultado. As ações caem 0,53%, para R$ 9,47.

“Embora reconheçamos que os resultados vieram um pouco abaixo do consenso e que continuamos a evidenciar os desafios da CSN de desalavancar seu balanço (dívida líquida de R$ 200 milhões na comparação trimestral, dívida líquida sobre Ebitda atingiu 5,8x, de 5,7x), o mercado deve acolher o fato que a CSN realizou seu primeiro desinvestimento significativo em um longo período de tempo, a fim de apoiar sua reestruturação do balanço patrimonial”, destaca o Credit Suisse.

A empresa anunciou a venda da participação societária na Companhia Siderúrgica Nacional (SA:CSNA3), LLC, empresa localizada nos Estados Unidos, com atuação na decapagem, laminação a frio e galvanização de aços planos, para a Steel Dynamics por US$ 400 milhões.

A Itaúsa (SA:ITSA4), holding que controla o Itaú Unibanco (SA:ITUB4) e empresas como Alpargatas (SA:ALPA4) e Duratex (SA:DTEX3), registrou um lucro líquido consolidado de R$ 2,420 bilhões no primeiro trimestre de 2018, alta de 24,8% em relação ao visto um ano antes. As ações caem 1,2%, para R$ 12,21.

As ações da Marfrig (SA:MRFG3) operam com perdas de 1,02% a R$ 7,78 na manhã desta terça-feira na B3. Nos três primeiros meses do ano a companhia reduziu o prejuízo devido a melhores resultados operacionais e os efeitos da alta do dólar sobre receitas internacionais compensaram parcialmente o peso das despesas financeiras.