Cotação do petróleo em baixa antes de dados dos estoques norte-americanos

jun 13, 2018

Investing.com - A cotação do petróleo estava em baixa nesta quarta-feira, já que investidores aguardam novos dados semanais sobre os estoques comerciais de petróleo bruto dos EUA para avaliar a força da demanda do maior consumidor de petróleo do mundo e a rapidez com que os níveis de produção irão continuar a subir.

A Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês), divulgará seu relatório semanal oficial dos estoques de petróleo referente à semana encerrada em 8 de junho às 11h30 em meio a expectativas de redução em torno de 1,4 milhão de barris.

Analistas também preveem um aumento de 443.000 barris nos estoques de gasolina, ao passo que os estoques de destilados deverão ter aumento de 200.000 barris.

Os dados também oferecerão novas indicações sobre a rapidez com que os níveis de produção domésticos continuam a subir. A produção norte-americana de petróleo, guiada pela extração de shale oil, chegou à máxima histórica de 10,80 milhões de barris por dia.

Após os mercados fecharem na terça-feira, o Instituto Americano de Petróleo (API, na sigla em inglês) afirmou que os estoques de petróleo dos EUA tiveram aumento de 833.000 barris na semana passada.

Os dados do API também mostraram um aumento de quase 2,3 milhões de barris nos estoques de gasolina, ao passo que estoques de destilados tiveram aumento de 2,1 milhões de barris.

Frequentemente há fortes divergências entre os as estimativas do API e números oficiais da EIA.

A referência norte-americana, o petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI), recuava US$ 0,44, ou cerca de 0,7%, e era negociado a US$ 65,92 o barril por volta das 04h50.

Do outro lado do Atlântico, os contratos com vencimento em agosto de petróleo Brent, referência global, recuavam US$ 0,49, ou cerca de 0,7%, e estavam cotados a US$ 75,39 o barril na Bolsa de Futuros ICE (ICE Futures Exchange) em Londres.

Enquanto isso, investidores de petróleo continuavam a pesar os resultados potenciais de uma reunião dos principais produtores de petróleo no final deste mês.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) deve se reunir em sua sede em Viena, juntamente com a Rússia, país externo à organização, em 22 de junho para discutir a política de produção.

A Opep e outros produtores, liderados pela Rússia, estão reduzindo a produção em cerca de 1,8 milhão de barris por dia para impulsionar os preços e reduzir os estoques globais de petróleo. O pacto teve início em janeiro de 2017 e deverá valer até o final de 2018.

No entanto, a Arábia Saudita e a Rússia disseram que os cortes poderiam ser aliviados depois de receberem pedidos de países consumidores, incluindo Estados Unidos, China e Índia, para darem sustentação à demanda global.