Cotação do ouro cai abaixo de US$ 1.300 com alta do dólar

mai 15, 2018

Investing.com - A cotação do ouro caía abaixo do patamar de US$ 1.300 nesta terça-feira e atingia os níveis mais baixos desde dezembro, já que o dólar e os rendimentos dos títulos do Tesouro subiram após a divulgação de números de vendas no varejo um pouco mais fortes do que o esperado.

Contratos futuros de ouro com vencimento em junho na divisão Comex da Bolsa Mercantil de Nova York recuavam US$ 23,80 ou 1,81% para US$ 1.294,60 a onça troy por volta das 10h26, menor nível desde o final de dezembro.

O metal amarelo caía à medida que o índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, tinha alta de 0,58% e chegava a 93,09, reaproximando-se de 93,26, máxima de quatro meses e meio atingida na quarta-feira.

O Departamento de Comércio dos EUA informou que as vendas no varejo do país tiveram aumento de 0,3% em abril e os números do mês anterior foram revistos para 0,8%, a partir do valor anterior de 0,6%.

O núcleo das vendas no varejo avançou 0,3% no mês passado, mas o número de abril foi revisto para cima para 0,4%, ante 0,2% previamente.

O relatório indicou que os gastos do consumidor estão a caminho de se recuperar depois de uma queda suave no primeiro trimestre.

Os dados ajudaram a elevar os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA, com o rendimento do título do Tesouro dos EUA com vencimento em 10 anos atingindo 3,047%, o maior desde o início de 2014, devido a expectativas de aumento da inflação.

Os rendimentos mais altos de títulos do Tesouro podem significar fraqueza para ouro que, como outras commodities, não oferece rendimentos, ao passo que uma moeda norte-americana mais forte torna o ouro, que é cotado em dólar, mais caro para compradores de outros países.

Em outras negociações de metais preciosos, contratos futuros de prata com vencimento em julho recuavam 2,34% para US$ 16,25 a onça troy, ao passo que contratos futuros de platina com vencimento em julho estavam em baixa de 1,74% e eram negociados a US$ 899,00. Contratos futuros do cobre com vencimento em julho tinham perdas de 1,39% e estavam cotados a US$ 3,050 por libra.