Vale e siderúrgicas caem com novas tarifa dos EUA a produtos chineses

jun 15, 2018

Investing.com - Em mais um dia negativo para os mercados acionários do Brasil, as ações da Vale e das principais siderúrgicas brasileiras operam com forte queda na tarde desta sexta-feira com os investidores preocupados com as novas tarifas impostas pelos Estados Unidos à China, que afetam de forma indireta as companhias brasileiras.

Desta forma, os ativos da Vale (SA:VALE3) caem 5,30% a R$ 48,93, enquanto a Bradespar (SA:BRAP4) tem perdas de 7,82% a R$ 28,00. Entre as siderúrgicas, CSN (SA:CSNA3) cai 5,61% a R$ 7,74, enquanto Usiminas (SA:USIM5) recua 5,14% a R$ 7,56. Já para a Gerdau (SA:GGBR4), a desvalorização é de 2,80% a R$ 13,88.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou tarifas sobre 50 bilhões de dólares em importações chinesas nesta sexta-feira e Pequim prometeu retaliar do mesmo modo, em uma medida que deve inflamar uma guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo.

Trump afirmou em um comunicado que uma tarifa de 25 por cento será imposta a uma lista de importações estrategicamente importantes da China. Ele também prometeu mais medidas se Pequim reagir.

A jornada desta sexta-feira foi marcada por uma nova leve valorização dos contratos futuros do minério de ferro, negociados na bolsa de mercadorias e futuros de Dalian. Na sessão, os ganhos foram de 0,21% a 474,0 iuanes para cada tonelada do produto com a data de entrega em setembro. A variação diária foi de apenas um 1 iuan.

Os contratos futuros do minério de ferro encerram a sessão desta sexta-feira com ganhos de 20 iuanes a 3.902 iuanes para cada tonelada da commodity negociada na bolsa de Xangai e com data de vencimento em outubro. Já o segundo ativo de maior liquidez, de janeiro de 2019, a valorização foi de 26 iuanes para 3.725 iuanes por tonelada.