Vale e siderúrgicas avançam de olho na disputa comercial entre China e EUA

set 18, 2018

Em meio as tensões comerciais entre Estados Unidos e China, e com a valorização do minério de ferro, as ações da Vale (SA:VALE3) e das principais siderúrgicas brasileiras operam com importante valorização na sessão desta terça-feira na bolsa paulista.

O principal destaque fica para os ativos da Vale, com ganhos de 2,07% a R$ 56,18, enquanto os papéis de Bradespar (SA:BRAP4) registram valorização de 1,33% a R$ 32,83.

Entre as siderúrgicas, o melhor desempenho fica para Usiminas (SA:USIM5), com alta de 1,84% a R$ 7,76, enquanto Gerdau (SA:GGBR4) tem avanço de 1,15% a R$ 15,81. A exceção fica para os ativos da CSN (SA:CSNA3), que oscilam entre altas e baixas e agora opera estável a R$ 8,64.

Guerra Comercial

Após a decisão do governo dos Estados Unidos adotar tarifar 200 bilhões de dólares em exportações chinesas, Pequim prometeu revidar e retaliar. Uma das medidas será intensificar os investimentos direcionados em áreas importantes da economia, bem como em áreas de fraqueza, com o objetivo de impulsionar a demanda doméstica, disse o Conselho de Estado segundo a rádio estatal nesta terça-feira, depois de uma reunião.

O gabinete disse que o investimento em projetos ferroviários e rodoviários na China central e ocidental será elevado. O gabinete também informou que está dizendo às instituições financeiras para aumentar o apoio a pequenas empresas exportadoras.

"Em meio a uma situação internacional complexa, é necessário estimular ainda mais a vitalidade do mercado interno da China", disse a rádio estatal citando o gabinete.

Alta das commodities

A bolsa de mercadorias de Dalian, na China, foi marcada pela valorização dos contratos futuros do minério de ferro. Os ativos com vencimento em janeiro do próximo ano encerram o dia com alta de 1,10% a 507,00 iuanes por tonelada, o que representa uma variação diária de 5,50 iuanes.

A jornada também foi positiva no caso dos contratos futuros do vergalhão de aço, que são negociados na bolsa de mercadorias de Xangai. O ativo de maior liquidez, para janeiro de 2019 apresentou ganhos de 56 iuanes para um total de 4.166 iuanes por tonelada. Já o ativo mais curto, para outubro, apresentou valorização de 47 iuanes, para um total de 4.541 iuanes por tonelada.

Com Reuters.