Tesouro Direto interrompe novamente negociações nesta quarta-feira

mai 30, 2018

Investing.com - Na tarde desta quarta-feira, o Tesouro Nacional voltou a suspender as negociações do Tesouro Direto às 13h30, a exemplo do que já aconteceu na parte da manhã. A expectativa é que as negociações sejam normalizadas às 15h30.

Ontem, o Tesouro Direto também passou por duas suspensões nas vendas de títulos, uma na parte da manhã e a segunda na parte da tarde. A decisão é tomada toda vez que as taxas os papéis flutuam muito e tem como principal objetivo a estabilização da volatilidade, aguardando um tempo até a retomada das negociações.

Uma das razões da suspensão das compras e das vendas se deve ao fato de para os pequenos investidores são os mesmos praticados para os grandes. Com isso, a alta volatilidade implica em riscos de distorções no varejo.

O cenário local incerto por conta dos impactos da greve dos caminhoneiros, e também a alta dos títulos do Tesouro nos Estados Unidos contribuem para a volatilidade. Os papéis americanos, com data de 10 anos, operam com alta de 3,27% a 2,859%. Na parte da manhã, a valorização era de 2,68% a 2,844%.

Os papéis indexados ao IPCA, com data de vencimento em 2024, rendiam 5,47% ao investidor, contra 5,24% na parte da manhã, enquanto os papéis mais longos, com vencimento em 2045, o rendimento era de 5,77%, contra 5,60% pela manhã. Já os com pagamento semestral de juros, a taxa era de 5,49% para 2026 e de 5,75% para 2050, contra 5,28% e 5,60% de mais cedo.

Já os prefixados, com data de vencimento em 2021, o rendimento era de 894% antes da suspensão, de 11,42% para 2025 e de 11,73% nos de 2029, com pagamento de juros semestrais.

Por fim, o Tesouro Selic, de 2023, tinham rendimento de 0,02%