Taurus avança com novo Datafolha; ações saltam após cada nova pesquisa

out 03, 2018

Mais uma vez, a divulgação de uma pesquisa de intenção de votos para a presidência da República afeta a cotação das ações da Forjas Taurus (SA:FJTA3). Desta vez, o Datafolha de ontem apontou para o crescimento de Jair Bolsonaro (PSL) para 32%, enquanto Fernando Haddad (PT) segue com 21%.

Com isso, as ações operam com ganhos de 14,77% na manhã desta quarta-feira, negociadas R$ 14,09%. Ontem, após a divulgação do Ibope na noite de segunda-feira, os papéis encerram com ganhos de 27,91%.

Desde o início da campanha eleitoral no rádio e na TV, os ativos da companhia acumulam valorização de 155,10% e de 159,28% desde o início do ano.

Evolução

Após a divulgação da pesquisa Datafolha do dia 21 de agosto, quando Bolsonaro tinha 22% das intenções de voto, com Marina Silva (Rede) em segundo, com 16%, as ações da Taurus fecharam com estabilidade.

Depois de 20 dias, já após o atentado contra Bolsonaro e a confirmação de Fernando Haddad como candidato do PT, o deputado tinha 24%, contra 15% de Marina, que ainda estava em segundo lugar. O resultado fez as ações da companhia saltassem 19,13% para R$ 2,74.

O levantamento seguinte, de 14 de setembro, Bolsonaro apareceu com 26%, com Haddad, Marina e Ciro Gomes (PDT) empatados em segundo com 13%. No pregão seguinte, os papéis saltaram 13,74%, indo para R$ 2,98.

A pesquisa do dia 19, levou Bolsonaro para os 28%, mas trouxe Fernando Haddad isolado em segundo lugar com 16%. Mais uma vez o mercado reagiu positivamente, subindo 34,38% no dia 19 e de 18,84% no dia 20.

Com a divulgação da pesquisa do dia 28, na noite de sexta-feira, surgiu uma apreensão no mercado com o crescimento de Haddad para 22%, com Bolsonaro seguindo com 28%, outros levantamentos do final de semana, como do MDA, chegaram a indicar um empate técnico no primeiro turno. Na sexta que antecedeu os números, as ações tiveram queda de 6,61%, mas avançaram 5,85%.

Na segunda-feira, com os números do Ibope apontando o crescimento da candidatura de Bolsonaro, e estagnação do petista, os ativos voltaram a subir 27,91%. Com a confirmação da tendência com Datafolha de hoje, as ações seguem em forte valorização.

Analisas orientam cautela

Bolsonaro tem entre suas bandeiras melhora da segurança pública e defende a liberalização nas regras para concessão do porte de armas. O texto do plano de governo de Bolsonaro defende a reformulação do estatuto do desarmamento para garantir o direito do cidadão à "legítima defesa".

O candidato quer também, entre outros pontos, investir fortemente nas polícias, acabar com a progressão de penas e as saídas temporárias e reduzir a maioridade penal para 16 anos.

No final de setembro, a Suno Research divulgou relatório a clientes lembrando que os ativos foram submetidos a um alto fluxo especulativo sem fundamentos à cerca de um ano atrás, aproximadamente, após a indicação de analistas financeiros à compra de seus papéis.

A casa de análises de investimentos defende investimento de longo prazo em companhias consideradas saudáveis, com baixo endividamento e com um bom histórico de geração de caixa, ao passo que repudia e recomenda a todos os investidores à não se aventurarem em processos especulativos de curto prazo, dado o alto risco envolvido em operações dessa natureza.

Com isso, a Suno considera que os atuais movimentos das ações são atípicos, com uma ligação direta com esses processos especulativos, que na grande maioria das vezes, de fato, não apresentam motivos racionais compreensíveis para se procederem.

Os analistas chamam a atenção para o fato da Taurus ter registrado no segundo trimestre do ano que seu patrimônio líquido se mostrou negativo (mais passivos que ativos em seu balanço patrimonial) em R$ 510 milhões, tornando, com isso, a relação Dívida Líquida / Patrimônio Líquido também negativa.

“Com esses dados, não é necessário se aprofundar em maiores detalhes sobre a sua saúde financeira para constatar que, de fato, se encontra bastante preocupante a situação da Forjas Taurus nesse momento. Gostamos de empresas saudáveis e com condições mínimas de equilíbrio patrimonial. Como não é o caso da Forjas Taurus, seguimos de fora da companhia por tempo indeterminado”, diz a casa de análise em na época do comunicado