Suzano volta a subir após arrematar porto no MA; Suno avalia negócio como positivo

jul 30, 2018

Na última sexta-feira, ainda com o mercado aberto, a Suzano Papel e Celulose (SA:SUZB3) anunciou que venceu o leilão para arrendamento de áreas em portos promovido pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) na B3, que ofertou R$ 100 mil como valor de outorga para um terminal no Porto de Itaqui, no Maranhão.

Na sexta-feira, as ações fecharam com ganhos de 2,17% e já avançam 2,00% na segunda-feira, a R$ 44,27.

Para a Suno Research, a notícia é bastante positiva no que tange o operacional da Suzano, dado que possibilitará à companhia uma maior eficiência operacional no que diz respeito à distribuição de seus produtos fabricados na unidade maranhense.

Diante da conjuntura atual do negócio, a Suno segue apreciando a Suzano, continuando a avaliar a mesma como a companhia de maior destaque e eficiência em seu segmento de atuação. O preço do seu papel SUZB3, contudo, ainda não proporciona, em nossa opinião, uma margem de segurança satisfatória, dado que o mesmo representa uma relação Preço / Lucro de 22,11x, nesse momento.

Com isso, a recomendação da Suno é ficar de fora da Suzano até que condições de descontos mais atraentes possam ser observados no que diz respeito ao preço de negociação de suas ações ordinárias.

A Suno lembra que a companhia opera a Unidade Imperatriz, no Maranhão, desde 2013, sendo essa a sua maior linha única de celulose, que atualmente gera aproximadamente 6.000 empregos diretos e indiretos.

O investimento inicial na fábrica com capacidade de 1,5 milhão de toneladas foi de US$ 2,4 bilhões. No ano passado esta capacidade foi ampliada para 1,65 milhões de toneladas anuais. Além disso, o último ano de 2017 foi marcado pelo início das operações de papéis sanitários em Imperatriz. Para ingressar nesse mercado, foram investidos R$ 540 milhões na construção de duas fábricas – a segunda localizada em Mucuri, na Bahia.