S&P eleva rating da Marfrig após negócio com a Tyson Foods; ações seguem em queda

ago 21, 2018

A venda da Keystone para a Tyson Foods movimentou as ações da Marfrig (SA:MRFG3) nos últimos dias. O valor do acordo, US$ 2,4 bilhões, foi considerado por analistas dos mais diversos fundos de investimentos e corretorias como abaixo do esperado.

Na última sexta-feira, quando as primeiras notícias do acordo formam divulgados pela imprensa, as ações chegaram a registrar forte valorização, mas acabaram o último dia da semana com queda de quase 10%.

Na visão da Standard & Poor's, a Marfrig teve sucesso na conclusão da aquisição da processadora ade carne bobina americana National Beef por US$ 1 bilhão e a venda da KeyStone por US$ 2,2 bilhões.

Os papéis do frigorífico seguem em queda, recuando 2,48% a R$ 6,29.

Em relatório, a S&P afirmou que removeu a companhia da lista de CreditWatch da agência de classificação de risco, elevando a nota de crédito de B+ para BB-, colocando em perspectiva estável.

No ponto de vista prático, a decisão reflete que a S&P tem a expectativa que a Marfrig vai se concentrar na melhora de seu desempenho operacional no Brasil, reduzindo as necessidades de capital de giro enquanto integra a National Beef, em uma abordagem conservadora em relação ao crescimento baseado em aquisições.

Visão do Itaú BBA

Na ocasião do negócio, os analistas do Itaú BBA destacaram que a notícia era negativa para as ações, uma vez que o valor ficou abaixo daquele que vinha sendo aventado pela mídia como desejado pela Marfrig. “Há uma grande diferença para o valor patrimonial entre uma venda de 2,5 bilhões e 3,0 bilhões de dólares”, afirmaram em nota a clientes.

Para a equipe do Itaú BBA, se a venda se confirmar no valor divulgado, as ações estariam negociando em um múltiplo que eles consideram não atrativo. O endividamento medido pela dívida líquida versus Ebitda recuaria para 3 vezes em dólar, considerando a fatia proporcional de 51 por cento na National Beef. “A alavancagem reportada seria menor, de 1,9 vez, mas menos importante para nós.”

“Com a venda em 2,5 bilhões de dólares, não vemos razão para mudar nossa recomendação 'underperform' para as ações, o que poderíamos estar inclinados a fazer se a venda chegasse aos 3 bilhões de dólares anteriormente esperados”, afirmaram os analistas. “Para mudar nossa opinião, precisaríamos ver uma forte geração de caixa e redução da dívida líquida nos próximos trimestres após a consolidação integral da National Beef, mas não temos razão para assumir esse cenário, por enquanto.”