Siderúrgicas e Vale voltam a sofrer com aversão ao risco em meio à guerra fiscal

jun 21, 2018

Investing.com - O cenário de aversão ao risco e de preocupação com a guerra fiscal que se desenha entre os Estados Unidos e a China, mais uma vez contribuem negativamente nas ações das principais siderúrgicas e também nas da Vale.

Entre as siderúrgicas, Gerdau (SA:GGBR4) perde 3,66% a R$ 14,20, com as da Usiminas (SA:USIM5) caindo 3,39% a R$ 7,41. No caso da CSN (SA:CSNA3), a desvalorização é de 2,37% a R$ 7,82. Já a metalúrgica da Gerdau cai 2,72% a R$ 6,43.

Para a Vale (SA:VALE3), os ativos da mineradora registram perdas de 2,40% a R$ 47,68, com as da Bradespar (SA:BRAP4) cedendo 2,01% a R$ 28,21.

"O quadro internacional volta a ser mais negativo, com volatilidade em alta, e cautela com a guerra comercial", escreveram analistas da Guide Investimentos em nota a clientes.

A jornada desta quinta-feira foi marcada pela valorização nos preços dos contratos futuros minério de ferro, negociados na bolsa de mercadorias de Dalian, na China. Os ativos com data de vencimento em setembro tiveram alta de 0,22%, ou 1,00 iuan, para um total de 453,0 iuanes para cada tonelada do produto.

No caso do vergalhão de aço, que tem os papéis futuros transacionados em Xangai, os contratos para outubro tiveram desvalorização de 15 iuanes para um total de 3.773 iuanes para cada tonelada da commodity. O segundo ativo de maior liquidez, para janeiro de 2019, teve perdas de 3 iuanes para um total de 3.604 iuanes por tonelada.