Seguindo exterior, índice futuro do Ibovespa inicia quarta-feira em queda

mai 23, 2018

Investing.com - O índice futuro do Ibovespa inicia a sessão desta quarta-feira operando com queda de 0,99% aos 82.140 pontos, seguindo assim a tendência das bolsas internacionais em meio a um cenário de incertezas quanto às questões comerciais entre os Estados Unidos e a China.

Os investidores mostram cautela depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, moderou o otimismo sobre o progresso feito até agora nas negociações comerciais entre as duas maiores economias do mundo.

Trump disse na terça-feira que não está satisfeito com as recentes negociações comerciais entre os com Pequim, azedando a melhora do sentimento do mercado após os comentários do secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, de que a guerra comercial está "em modo de espera".

O relacionamento sino-americano está entrando em uma "nova normalidade" e as disputas comerciais entre os dois países durariam vários anos, disse Yifan Hu, diretor regional de investimentos da China no UBS Wealth Management.

Por aqui, destaque para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que teve variação de 0,14% em maio, 0,07 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa de abril (0,21%). Essa foi a menor taxa para um mês de maio desde o ano 2000, quando o índice registrou 0,09%. O IPCA-15 acumulado no ano ficou em 1,23%, menor nível para o período janeiro-maio desde a implantação do Plano Real. O acumulado dos últimos doze meses foi de 2,70%, ficando abaixo dos 2,80% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Já em maio de 2017 a taxa foi 0,24%.

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,18 por cento, a 22.689 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,82 por cento, a 30.665 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,40 por cento, a 3.169 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,32 por cento, a 3.854 pontos.

Na Europa, com os mercados abertos, o DAX, de Frankfurt, opera em forte queda de 1,65% aos 12.951,19 pontos, enquanto em Londres o FTSE registra perdas de 0,72% aos 7.820,84 pontos. Já em Paris, o CAC tem desvalorização de 1,48% aos 5.556,00 pontos.

Commodities

A jornada desta quarta-feira em Dalian, na China, foi mais uma vez marcada pela queda nos contratos futuros do minério de ferro, que perderam 0,76% na sessão, fechando assim o dia negociados a 456,5 iuanes por tonelada, nos papéis com vencimento em setembro. A variação diária foi de 3,5 iuanes para cada tonelada da commodity.

No caso do vergalhão de aço, os contratos futuros negociados em Xangai também tiveram um novo dia de perdas, recuando 51 iuanes a 3.531 iuanes por tonelada para o vencimento de outubro. O segundo ativo mais líquido, de janeiro de 2019, perdeu 40 iuanes a 3.404 iuanes para cada tonelada do produto.

O petróleo também tem um dia de desvalorização nos mercados internacionais. O barril do tipo WTI, negociado em Nova York, opera com queda de 0,58%, ou US$ 0,42, a US$ 71,78. Do outro lado do Atlântico, em Londres, o Brent recua 0,84%, ou US$ 0,67, a US$ 78,90.

Mercado Corporativo

A privatização das seis distribuidoras da Eletrobras (SA:ELET3) situadas no Norte e Nordeste do país pode ocorrer antes do fim de julho, avaliou nesta terça-feira o presidente da estatal Wilson Ferreira Jr..

Mas ele disse que "possivelmente" terá de ser ampliado o prazo de designação, que é a autorização para operar as empresas, que termina no dia 31 de julho, para dar conta do tempo de conclusão do processo. Ele estima em cerca de 90 dias o período entre o momento da privatização até a conclusão do processo.

Grandes bancos do país fecharam acordo para conceder um novo empréstimo à Odebrecht, que permitirá à unidade de construção do grupo pagar 500 milhões reais a detentores de títulos, disseram à Reuters três fontes com conhecimento do assunto.

Itaú Unibanco (SA:ITUB4) e Bradesco (SA:BBDC4) conjuntamente devem emprestar 2,6 bilhões de reais em 18 meses, acrescentaram as fontes. Os contratos estão sendo revisados ​​por bancos e advogados da empresa, mas ainda não foram assinados, segundo as fontes.

Embora os bancos já tenham aprovado os termos do empréstimo em seus comitês de crédito, impasses de última hora ainda podem inviabilizar a transação, acrescentaram as fontes. Banco do Brasil (SA:BBAS3) e Santander Brasil (SA:SANB11) também avalizaram os esboços do empréstimo e como a garantia será dividida entre os bancos, de acordo com as fontes.

Agenda de Autoridades

A quarta-feira de Michel Temer reserva compromissos oficiais apenas na parte da tarde, quando recebe no Palácio do Planalto o almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, Comandante da Marinha Palácio do Planalto. Mais tarde, o presidente participa do lançamento do programa Governo Digital: Rumo (SA:RAIL3) a um Brasil Eficiente.

Em seguinda, Temer se encontra com Carlos Nejar, membro da Academia Brasileira de Letras e da Academia Brasileira de Filosofia, além de audiências com os deputados José Rocha (PR/BA) e Valdemar Costa Neto, ex Deputado; José Sarney Filho (PV/MA); e Deputado Celso Russomanno (PRB/SP), líder do PRB na Câmara dos Deputados.

Já o dia do ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, tem como único compromisso oficial na agenda uma reunião com a ministra Grace Mendonça, Advocacia Geral da União (AGU).

Com Reuters.