Seguindo exterior, Ibovespa futuro inicia sessão com perdas

jun 08, 2018

Investing.com - Depois de fechar com expressiva queda de quase 3% na sessão de ontem, o índice futuro do Ibovespa começa a sexta-feira com perdas de 0,76% aos 73.242 pontos, seguindo a tendência das bolsas europeias e também dos indicadores futuros de Wall Street.

Na cena externa, segue a incerteza sobre as relações comerciais antes de uma reunião de líderes globais. O G7 deve entrar em conflito com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nesta sexta-feira, quando o pressionarem a suspender as sanções às importações de aço e alumínio que temem que possa levar a uma guerra comercial.

Os investidores seguem evitando mercados emergentes devido à incerteza sobre as relações comerciais globais e expectativas de novas elevações dos juros nos EUA, além da redução do enorme estímulo monetário na Europa.

Por aqui, o cenário deve permanecer incerto após o dia de alta tensão de ontem. A cena política e a dificuldade de o governo lidar com as dificuldades geradas pela greve dos caminhoneiros leva incertezas aos investidores.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês de maio foi de 0,40% e ficou 0,18 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de 0,22% registrada em abril. O acumulado no ano (1,33%) foi o menor para um mês de maio desde a implantação do Plano Real. O acumulado nos últimos 12 meses subiu para 2,86%, enquanto havia registrado 2,76% nos 12 meses imediatamente anteriores. Em maio de 2017, a taxa atingiu 0,31%.

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,56 por cento, a 22.694 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,76 por cento, a 30.958 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,36 por cento, a 3.067 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,35 por cento, a 3.779 pontos.

A sexta-feira é negativa para os mercados europeus, que já estão em operação. Em Frankfurt, o DAX tem perdas de 0,74% aos 12.716,00 pontos, enquanto em Londres o FTSE recua 0,32% aos 7,681,25 pontos. Já em Paris, as perdas são de 0,22% aos 5.436,57 pontos.

Commodities

A sessão desta sexta-feira foi marcada por uma nova queda na cotação dos contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa chinesa da Dalian. Os papéis com vencimento em setembro deste ano tiveram perdas de 1,27%, fechando assim o dia a 467,0 iuanes para cada tonelada, o que representa uma variação diária de 6,0 iuanes.

No caso do vergalhão de aço, com os ativos negociados na bolsa de mercadorias de Xangai, a jornada também foi de perdas. O papel com entrega em outubro, o de maior liquidez, teve queda de 13 iuanes, fechando assim o dia transacionado a 3.806 iuanes para cada tonelada. O segundo contrato de maior negociação, de janeiro de 2019, teve perdas de 5 iuanes, para 3.635 iuanes para cada tonelada.

No caso do petróleo, a commodity tem um novo dia de perdas nos mercados internacionais. Em Nova York, o barril do tipo WTI é negociado com desvalorização de 0,56%, ou US$ 0,37, a US$ 65,58. Já em Londres, o Brent registra queda de 0,94%, ou US$ 0,73%, a US$ 7659.

Mercado Corporativo

A China anunciou nesta sexta-feira que vai impor medidas antidumping temporárias sobre as importações de carne de frango brasileira, no momento em que os Estados Unidos pressionam Pequim a reabrir seu mercado para os produtos avícolas norte-americanos.

Os importadores chineses de frango brasileiro terão que pagar depósitos de 18,8 a 38,4 por cento do valor de suas compras a partir de 9 de junho, informou o Ministério do Comércio em um comunicado.

As medidas abrangem produtos fornecidos pelos principais exportadores brasileiros JBS (SA:JBSS3 (SA:JBSS3)) e BRF (SA:BRFS3 (SA:BRFS3)).

O conselho diretor a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) confirmou que, desde 2009, a Oi (SA:OIBR4) não infringiu o princípio da neutralidade de rede. Esta foi uma das condicionantes impostas pela agência para a fusão das operadoras Telemar e Brasil Telecom, que resultou na Oi.

Prevista no Marco Civil da Internet, a neutralidade de rede assegura que os usuários não podem sofrer qualquer tipo de discriminação no tráfego de conteúdo. De acordo com o relator do processo, conselheiro da Anatel Leonardo de Morais, a análise das reclamações encaminhadas à Anatel verificou um percentual muito baixo de queixas relacionadas à neutralidade: foram 193 reclamações sobre neutralidade de rede entre janeiro de 2009 e abril de 2018 contra a Oi.

O presidente Michel Temer anunciou hoje (7) que a Casa Civil e o Ministério dos Transportes estão estudando "uma adaptação à tabela dos preços mínimos do frete" para que os caminhoneiros tenham condições de trabalho, sem que a economia seja abalada.

Temer concedeu entrevista exclusiva à jornalista Roseann Kennedy, no programa Nos Corredores do Poder, da TV Brasil. Ele garantiu que o acordo feito com os caminhoneiros não será desconsiderado. O presidente lembrou que a tabela da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) já existia, mas não estava sendo colocada em prática porque havia uma oferta grande de fretes, graças ao número de caminhões disponíveis, após a retração da economia. "Mas isso não foi no meu governo", destacou.

O Banco Central e o Tesouro Nacional continuarão atuando para prover liquidez aos mercados de câmbio e de juros "enquanto for necessário" e o governo não descarta a possibilidade de usar reservas cambiais ou fazer leilão de linha se houver demanda, disse o presidente da autoridade monetária, Ilan Goldfajn, nesta quinta-feira.

Ilan negou que pense em deixar o cargo, afastou a possibilidade de encontros extraordinários do Comitê de Política Monetária e afirmou que o BC vai oferecer 20 bilhões de dólares em contratos de swaps cambiais até o fim da semana que vem, mas pode elevar o valor se considerar necessário.

Agenda de Autoridades

A sexta-feira de Michel Temer começa com uma reunião com o ministro de Estado chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marum. Em seguida, o presidente se encontra com o senador Eduardo Braga (MDB-AM). Ainda pela manhã, Temer recebe Helder Barbalho, ex-ministro de estado da Integração Nacional e Sérgio Sá Leitão, Ministro da Cultura.

O presidente ainda se encontrará com Eliseu Padilha, ministro de estado chefe da Casa Civil da Presidência da República, Esteves Colnago, ministro de estado do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, João Rabelo, Diretor de Governo do Banco do Brasil (SA:BBAS3), Roberto Barros Barreto, Diretor de Governo da Caixa Econômica Federal. Mais tarde, Temer recebe Grace Maria Fernandes Mendonça, Advogada-Geral da União e em seguida Eduardo Guardia, ministro de estado da Fazenda.

O dia acaba um uma nova reunião com Eliseu Padilha, ministro de estado chefe da Casa Civil da Presidência da República, e Moreira Franco, ministro de estado de Minas e Energia.

Já o dia de Eduardo Guardia, deve ser menos movimentado, tendo reunião com Paula Bellizia, Presidente da Microsoft Brasil e, mais tarde, com Piero Minardi, Presidente da Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP)

Com Reuters.