Seguindo exterior, futuros do Ibovespa iniciam quinta-feira com desvalorização

out 18, 2018

Após encerrar a jornada de ontem com leve queda, o índice futuro do Ibovespa abre a quinta-feira com desvalorização de 0,65% aos 85.970 pontos, em dia que sinaliza ser mais uma vez negativo para os mercados internacionais.

Os investidores reduzem suas exposição a ações com a realização de lucros recentes com uma onda de pessimismo provocada pela ata do Federal Reserve. O documento não trouxe novidades ao reforçar a necessidade de aumento de taxa de juros, com diretores ignorando a crítica pesada vindo de Donald Trump. O momento é de cautela também com a enxurrada de balanços nesta semana.

Os índices acionários chineses recuaram acentuadamente nesta quinta-feira, com fortes vendas no setor de energia e preocupações com os níveis de empréstimos nos mercados acionários somando-se às apreensões sobre o crescimento e as vendas generalizadas nos mercados globais.

Li Zheming, analista da Datong Securities, disse que o mercado foi pressionado por uma combinação de fatores, e que o sentimento geral foi fraco nesta quinta-feira.

A agenda americana desta quinta-feira reserva poucos indicadores de destaque, com a atenção dos investidores voltadas para os pedidos de auxílio-desemprego e também para o índice de atividade do Federal Reserve da Filadélfia.

O cenário eleitoral deve seguir dominando a cena no mercado local, com a aproximação do segundo turno das eleições e também com a larga margem de vantagem de Jair Bolsonaro (PSL) nas pesquisas de intenção de voto contra Fernando Haddad (PT).

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,80 por cento, a 22.658 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,03 por cento, a 25.454 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 2,94 por cento, a 2.486 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 2,37 por cento, a 3.044 pontos.

Mais uma vez o dia é de rumos distintos para os mercados acionários da Europa. Em Frankfurt, em DAX tem alta de 0,08% aos 11.724,81 pontos, enquanto que em Londres, o FTSE recua 0,14% aos 7.044,90 pontos. Já em Paris, o CAC registra ganhos de 0,39% aos 5.164,96 pontos.

Commodities

Mais uma vez, a jornada desta quinta-feira foi marcada por ganhos nos contratos do minério de ferro na bolsa de mercadorias de Dalian, na China. O ativo de maior volume de negócios, com data de entrega para janeiro de 2019, teve ganhos de 0,68% a 517,50 iuanes por tonelada, montante que representa uma variação total no dia de 3,50 iuanes.

No caso do vergalhão de aço, que é transacionado na bolsa de mercadorias de Xangai, o dia foi de perdas para os principais papéis. O contrato com data de vencimento em janeiro do ano que vem, o mais líquido, recuou 48 iuanes para 4.108 iuanes por tonelada. Já o ativo para maio de 2019, segundo em volume, perdeu 20 iuanes para 3.793 a cada tonelada do produto.

O dia também é de desvalorização para o petróleo nos mercados internacionais. O preço do barril do tipo WTI cai 0,92%, ou US$ 0,64, a US$ 69,11. Já o Brent em perdas de 1,07%, ou US$ 0,86, a US$ 79,91

Mercado Corporativo

A Ipiranga, do grupo Ultrapar (SA:UGPA3), retomou o segundo lugar na lista das principais distribuidoras de diesel no Brasil, na média do primeiro semestre deste ano, com participação de mercado de 21,13 por cento, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) publicados nesta quarta-feira.

Na média do primeiro trimestre, a Ipiranga figurava em terceiro lugar, com participação de mercado nas vendas de diesel de 19,75 por cento, atrás da Raízen.

A Raízen --uma joint venture entre Cosan (SA:CSAN3) e Shell, ficou com participação de 21,05 por cento no primeiro semestre, contra 21,10 por cento no primeiro trimestre.

A BR Distribuidora (SA:BRDT3) da Petrobras (SA:PETR4), segue em primeiro lugar, com participação de mercado nas vendas de diesel de 31,10 por cento na primeira metade do ano, ante 31,07 no primeiro trimestre.

A empresa brasileira de experiência do consumidor Mutant anunciou nesta quarta-feira ter recebido um investimento de 85 milhões de dólares do Canada Pension Plan Investiment Board (CPPIB) e do Adams Street Partners.

Especializada em fortalecer a interação de empresas com clientes no mundo digital, a Mutant presta serviços para grupos como Magazine Luiza (SA:MGLU3), Santander Brasil (SA:SANB11), Net e Porto Seguro (SA:PSSA3).

Com a captação, a expectativa da Mutant é fechar o ano com faturamento de 400 milhões de reais, crescimento de 45 por cento em relação ao ano anterior.

O governo federal ainda não desistiu de realizar o leilão de privatização da distribuidora de energia da Eletrobras (SA:ELET3) no Amazonas na próxima semana, apesar de o Senado ter rejeitado na véspera um projeto de lei que ajudaria na viabilização da venda, disseram à Reuters duas fontes próximas ao processo.

O projeto de lei era importante para solucionar passivos das distribuidoras junto a fundos do setor elétrico. Como a Amazonas Energia é a mais deficitária das distribuidoras, acumulando prejuízos bilionários, o PL era visto como fundamental para aumentar o interesse na unidade.

"Estamos pensando em manter o leilão", disse nesta quarta-feira uma pessoa próxima ao tema na condição de anonimato.

"Há interessados mesmo sem o projeto de lei", adicionou a fonte, sem citar quais investidores poderiam fazer lances pela distribuidora amazonense.

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) decidiu durante reunião nesta quarta-feira suspender os encontros semanais que vinham sendo realizados para acompanhar condições de suprimento, após a constatação de melhora do quadro hidrológico para os reservatórios das hidrelétricas, conforme informou em comunicado.

Em 3 de outubro, o CMSE havia decidido desligar as usinas termelétricas fora da ordem de mérito em 6 de outubro, e a decisão se manteve nas duas reuniões seguintes, uma vez que as térmicas mais caras não seriam necessárias no momento atual, após boas chuvas nas áreas das hidrelétricas, principal fonte de energia no país.

O Comitê destacou nesta quarta-feira que está garantido o suprimento eletroenergético do Sistema Interligado Nacional (SIN) e permanecerá acompanhando permanentemente as condições de suprimento do Sistema Elétrico Brasileiro.

O Senado aprovou nesta quarta-feira indicações a três diretorias da Agência Nacional de Mineração (ANM). Por 35 votos a 5, senadores aprovaram o nome de Tasso Mendonça Júnior para diretoria da agência em um mandato de 3 anos.

A indicação de Eduardo Araújo de Souza Leão, para um mandato de quatro anos, foi chancelada por 38 votos a 3. O nome de Tomás Antônio Albuquerque para diretoria da ANM para um mandato de dois anos foi aprovado por 39 a 6.

Uma câmara de arbitragem decidiu que a estatal Eletrobras não é obrigada a firmar contrato de compra e venda de energia destinada ao Ambiente de Contratação Livre (ACL) da Usina de Belo Monte, no Pará, informou a estatal em comunicado ao mercado.

A empresa, que detém participação na gigante hidrelétrica, explicou que os sócios de Belo Monte dispõem de uma cláusula que trata da compra e venda de energia elétrica gerada pela usina, destinada ao ACL.

Existia, porém, uma divergência quanto à aplicação da referida cláusula sobre a obrigação ou não de a Eletrobras adquirir a energia gerada pela usina, explicou a empresa.

A disputa entre Eletrobras e os demais sócios foi resolvida pela Câmara de Mediação e Arbitragem da FGV. A arbitragem havia sido instaurada em 2016.

Agenda de Autoridades

O presidente Michel Temer recebe na manhã desta quinta-feira, no Palácio do Planalto, o prefeito de Goiânia, Iris Rezende. Em seguida, tem reunião com Aloysio Nunes Ferreira, Ministro de Estado das Relações Exteriores; Valter Casimiro, Ministro de Estado dos Transportes, Portos e Aviação Civil; Moreira Franco, Ministro de Estado de Minas e Energia, e Carlos Marun, Ministro-Chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República.

Já o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, se reúne com Joaquim Silva e Luna, ministro da da Defesa. Na parte da tarde, recebe Manuel dos Anjos, que faz parte do Controle Interno do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Com Reuters.