São Martinho lucra R$ 58,54 mi no trimestre; ações operam em queda de 1%

nov 07, 2018

Na terça-feira, após o fechamento dos mercados, a São Martinho (SA:SMTO3) divulgou o resultado do segundo trimestre do ano safra 2018 /2019, com lucro de R$ 58,547 milhões, alta de 10,4% na comparação com o mesmo período anterior. Diante disso, as ações recuam 1,03% a R$ 20,09, no início da quarta-feira na bolsa paulista

Na opinião da Mirae Asset, o resultado foi neutro e os analistas esperam resultados melhores nos próximos trimestres, com uma recuperação do preço do açúcar, principalmente no 2S19. A recomendação segue de compra, com preço justo de R$ 23,60, representando upside de 16%.

A equipe de analistas da Coinvalores considera que o balanço foi fraco, em um cenário como preço mais pressionado do açúcar no período, levando a companhia a optar, além de levar o mix produzido ainda mais para o lado do etanol, estocar parte da produção para o segundo semestre da safra, que se iniciou em outubro e começou a mostrar melhora no cenário

A corretora entende que com a redução das despesas financeiras, a companhia ainda entregou elevação no bottom line. A expectativa já era de números mais pressionados, dessa forma, não espera o resultado como um driver importante para os papéis.

Resultado

Em seis meses de safra, o lucro líquido acumulado caiu 4,3%, para R$ 162,506 milhões. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da companhia sucroenergética recuou 19,1% na mesma comparação trimestral, para R$ 316,238 milhões. No semestre inicial de 2018/2019, o Ebitda ajustado recuou 17,2% ante os primeiros seis meses de 2017/2018, para R$ 717,628 milhões.

A receita líquida do Grupo São Martinho somou R$ 643,427 milhões no segundo trimestre da safra, recuo de 12,6%, e caiu 11,8% na comparação semestral, a R$ 1,415 bilhão. O lucro caixa alcançou R$ 58,547 milhões no segundo trimestre de 2018/2019, queda de 4,3%, e R$ 222,152 milhões no semestre, baixa de 44,1%.

A dívida líquida consolidada aumentou 25,5% entre o trimestre encerrado em junho e o que terminou em setembro de 2018, para R$ 3,091 bilhões. A alavancagem do Grupo São Martinho, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda, cresceu de 1,26 vez para 1,72 vez, na mesma comparação.