Renova Energia opera estável após reportar prejuízo 20% maior no trimestre

mai 14, 2018

Investing.com - As ações da Renova Energia (SA:RNEW11) estão estáveis na tarde desta segunda-feira na B3 a R$ 2,50, sendo que no decorrer do dia chegou a ser negociadas a R$ 2,55. O mercado reage com cautela os números apresentados pela companhia.

A Coinvalores destaca que o Ebita da companhia saiu de R$ 18,8 milhões no primeiro trimestre do ano para resultado negativo de R$ 64,4 milhões, com o prejuízo aumentando em quase 20% na mesma de comparação, para R$ 120,5 milhões.

Os analistas destacam que o resultado veio mesmo com a venda do Alto Sertão II e do maior faturamento no trimestre. Isso porque os custos gerenciáveis e as despesas administrativas seguiram em franca expansão, corroendo a rentabilidade do período. Não obstante, a dívida líquida da companhia também aumentou, atingindo R$ 1,3 bilhão ao final desse trimestre.

Com o desempenho pífio, a companhia ressaltou que vem trabalhando na elaboração de um novo plano de reestruturação, "que será apresentado em breve" e busca uma "solução gradual e definitiva para equacionar sua estrutura de capital".

A Renova Energia informou na última quinta-feira o encerramento das negociações com a Brookfield Energia Renovável envolvendo a venda de ativos, uma vez que não se chegou a um acordo com relação aos termos finais da transação.

A Renova Energia, empresa de energia limpa que possui pequenas hidrelétricas em operação e um complexo de geração eólica em construção, estava em negociação com a canadense Brookfield sobre o projeto Alto Sertão III.

A empresa de geração, da mineira Cemig (SA:CMIG4) e de sua controlada Light (SA:LIGT3), é alvo de uma investigação da Polícia Civil de Minas Gerais, informou a Cemig na última quarta-feira em informações publicadas no formulário 20-F, documento exigido pelo regulador do mercado dos Estados Unidos, onde a companhia tem recibos de ações (ADRs) em negociação.

Com Reuters.