Quadrinhos: Trump sai do acordo nuclear com Irã. Veremos petróleo a US$ 100?

mai 10, 2018

Investing.com -A cotação do petróleo atingiu seu maior nível em três anos e meio nesta semana depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retirou o país do acordo nuclear internacional com o Irã e voltou a impor "o mais alto nível de sanções econômicas" contra o país.

Trump disse que deixou o acordo porque Teerã continua a trabalhar em uma bomba, com base em evidências fornecidas pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o país ainda apoia grupos terroristas em todo o Oriente Médio.

Alguns analistas disseram que o restabelecimento de sanções poderia levar a um fornecimento mundial mais reduzido de petróleo, uma vez que dificulta a exportação de petróleo pelo Irã.

O Irã, que é um grande produtor de petróleo do Oriente Médio e membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), retomou seu papel como um grande exportador de petróleo em janeiro de 2016, quando as sanções internacionais contra Teerã foram removidas em troca de restrições ao programa nuclear iraniano.

Os preços do petróleo registravam máximas de vários anos nesta quinta-feira, com os contratos futuros subindo rapidamente em resposta às medidas anunciadas.

Contratos futuros de petróleo Brent, referência internacional para os preços do petróleo, atingiram o maior nível desde novembro de 2014, US$ 78,00 por barril.

Contratos futuros do petróleo West Texas Intermediate (WTI), dos EUA, também registraram máxima de novembro de 2014, US$ 71,89 o barril.

Preocupações com a tensão geopolítica envolvendo o Irã podem significar que os preços do petróleo irão se aproximar da faixa de US$ 80 a US$ 100 a partir de US$ 60 a US$ 70, que era a previsão dos analistas para este ano.

O Goldman Sachs (NYSE:GS) afirmou que as planejadas sanções unilaterais dos EUA contra o Irã provavelmente teriam um "alto nível de eficiência".

Como resultado das sanções e por conta dos riscos ao abastecimento em outros locais, especialmente na Venezuela, o banco norte-americano disse que "há o risco de que nossa projeção do preço do Brent no verão de US$ 82,50 por barril (seja) distorcida para cima."

As sanções vêm em meio a um mercado de petróleo que já está se equilibrando devido aos esforços da Arábia Saudita e da Rússia para cortar a produção e reduzir o excesso de oferta.

Para ver mais quadrinhos semanais do Investing.com, acesse: http://br.investing.com/analysis/comics