Preços do petróleo mistos na expectativa por relatórios da EIA e da OPEP

set 12, 2018

Os preços do petróleo apresentaram comércio misto na quarta-feira, enquanto os investidores esperavam pela divulgação de dados oficiais sobre os estoques brutos americanos e o relatório mensal da Organização dos Países Exportadores de Petróleo.

Os contratos futuros de petróleo bruto WTI, negociados em Nova York, tinham ganhos de US$ 0,37, ou de 0,53%, e eram negociados a US$ 69,62 o barril às 6h31.

Enquanto disso, os contratos futuros de petróleo Brent, referência para preços do petróleo fora dos EUA, perdiam US$ 0,14, ou 0,18%, e eram negociados a US$ 78,92 o barril.

O Instituto Americano de Petróleo informou na terça-feira que os EUA os estoques brutos caíram 8,636 milhões de barris, superando as expectativas de um declínio muito menor.

A Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês), divulgará seu relatório semanal oficial de oferta de petróleo às 11h30, com previsão de uma redução de 1,3 milhão de barris.

Também em pauta, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo divulgará seu relatório mensal que inclui previsão para a demanda global de petróleo em aproximadamente às 8h10.

O impacto potencial do furacão Florence, que está se movendo em direção à costa leste dos Estados Unidos, aumentou as preocupações do mercado sobre as sanções americanas contra o Irã e gerou uma disparada nos preços do petróleo durante a noite, a maior desde desde junho.

Relatórios sugerem que as exportações iranianas de petróleo estão começando a ser atingidas, já que os compradores buscam suprimentos alternativos diante das sanções que entrarão em vigor no dia 4 de novembro.

O furacão Florence, uma grande tempestade de categoria 4, está se aproximando da Carolina do Norte e Carolina do Sul. Espera-se que chegue aos EUA esta semana.

A população tem comprado gasolina antes da tempestade e o aumento no consumo levou a uma elevaçãona demanda por produtos refinados e petróleo bruto.

Como parte de um esforço para impedir a alta dos preços do petróleo, autoridades de energia vêm se reunindo com suas contrapartes da Arábia Saudita e da Rússia nesta semana. Os três países são os maiores produtores de petróleo do mundo. Os EUA querem garantir que a Arábia Saudita e a Rússia mantenham suprimentos para limitar os aumentos de preços.

O secretário de Energia dos EUA, Rick Perry, se encontrou com o ministro da Energia da Arábia, Khalid al-Falih, na segunda-feira. Eles discutiram a situação dos mercados globais de petróleo, o potencial para a cooperação nuclear civil EUA-Arábia Saudita, juntamente com os esforços para compartilhar tecnologias para a produção de combustíveis limpos, de acordo com um comunicado do Departamento de Energia americano.

Perry também se reunirá com o ministro russo da Energia, Alexander Novak, na quinta-feira em Moscou, segundo revelaram uma fonte americana e uma fonte diplomática à Reuters no domingo à noite.

Em outros negócios de energia, os futuros de gasolina caíam 0,35% para US$ 2,0165 por galão às 6h32, enquanto óleo de aquecimento cedia 0,15% para US$ 2,2487 por galão.

Por fim, os contratos futuros de gás natural avançavam 0,42%, para US$ 2,840 por milhão de unidades térmicas britânicas.