Preços do petróleo aumenta em meio às sanções do Irã

set 17, 2018

Os preços do petróleo subiram na segunda-feira, à medida que os EUA se aproximam sanções dos Estados Unidos sobre o Irã devem levar a um mercado mais apertado.

Contratos futuros de petróleo Brent, referência para preços do petróleo fora dos EUA, avançavam 69 centavos, ou 0,9%, para US$78,78 o barril às 10h35.

Contratos futuros de petróleo bruto WTI ganharam 48 centavos, ou 0,7%, para US$ 69,27 o barril.

As sanções, que a partir de novembro incluirão as exportações de petróleo de Teerã, estão sendo restabelecidas após os EUA. O presidente Donald Trump abandonar o acordo nuclear com o Irã no início deste ano.

O Irã é o terceiro maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, fornecendo cerca de 2,5 milhões de barris por dia de petróleo bruto e condensado para os mercados neste ano, o equivalente a cerca de 2,5% do consumo global.

As exportações de petróleo bruto da república islâmica caíram quase um terço desde abril, caindo abaixo de 2 milhões de bpd em agosto, e continuando a se deteriorar na primeira quinzena de setembro.

Washington quer cortar as exportações de petróleo do Irã para zero, e está encorajando produtores como a Arábia Saudita, outros membros da Opep e a Rússia a bombear mais para atender ao déficit.

Sob pressão da Trump para baixar os preços do petróleo, a Opep e os aliados concordaram em junho em aumentar a produção, participando de um acordo de corte de fornecimento em vigor desde 2017.

Embora a produção da Opep tenha aumentado desde então, a Arábia Saudita adicionou menos petróleo do que inicialmente indicado.

Em outros lugares, os mercados também permanecerão sintonizados com os próximos passos possíveis na disputa comercial entre os Estados Unidos. e a China depois de um relatório de que o governo Trump estava preparado para impor tarifas sobre um adicional de US$ 200 bilhões de bens chineses, assim que esta semana.

Os economistas estão preocupados que as crescentes barreiras comerciais entre as principais economias do mundo possam arrastar o crescimento global e, por extensão, corroer a demanda por energia.

Em outras negociações de energia, contratos futuros de gasolina avançavam 1,5% para US$ 2,003 o galão, ao passo que o óleo de aquecimento recuava de 0,9% e era negociado a US$ 2,229 o galão.