Petróleo sob pressão após Irã apresentar apoio a aumento modesto da oferta

jun 21, 2018

Investing.com - A cotação do petróleo estava em baixa nas negociações durante a metade da manhã desta quinta-feira, embora o barril West Texas estivesse perto da marca inalterada, já que o Irã recuou da oposição ao aumento da produção, abrindo caminho para um possível acordo na reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

Os contratos futuros de petróleo bruto WTI, negociados em Nova York, tinham perdas de US$ 0,04, ou cerca de 0,1%, e eram negociados a US$ 65,71 o barril às 11h44.

Além disso, o petróleo Brent, referência para preços do petróleo fora dos EUA, recuava US$ 1,18, ou 1,6%, para US$ 73,56.

A Opep está planejando uma revisão de seu acordo de produção atual com produtores externos à organização liderados pela Rússia, que retirou 1,8 milhão de barris por dia do mercado nos últimos 18 meses.

A Arábia Saudita e a Rússia, dois países com capacidade para aumentar a produção, pressionaram por aumentos na produção para cobrir deficiências da oferta do Irã e da Venezuela. No entanto, membros da Opep, incluindo Iraque, Irã e Venezuela, mostraram sua preferência em manter os limites de fornecimento estabelecidos.

Contudo, o ministro iraniano do petróleo, Bijan Zanganeh, disse estar se sentindo "muito bem" com os níveis de produção da Opep e indicou que o Irã poderia aceitar um aumento modesto da oferta, sugerindo que os membros estariam se aproximando de um acordo antes da 174ª reunião oficial em Viena na sexta-feira. A reunião terá início sexta-feira às 04h30 e uma entrevista coletiva está marcada para as 08h00.

Essa reunião será acompanhada por uma reunião de autoridades da Opep com seus aliados externos à organização no sábado.

Em outras negociações de energia, os contratos futuros de gasolina recuavam 0,1% para US$ 2,0160 o galão às 11h45, ao passo que o óleo de aquecimento tinha queda de 1,1% e era negociado a US$ 2,0831 o galão.

Por fim, os contratos futuros de gás natural avançavam 0,7%, para US$ 2,985 por milhão de unidades térmicas britânicas, reduzindo ganhos depois que dados semanais mostraram que os estoques tiveram aumento maior do que o previsto na semana passada.