Petróleo no caminho de ganhos na semana antes de dados da produção nos EUA

mai 18, 2018

Investing.com - Apesar de uma queda nos preços do petróleo nesta sexta-feira no meio da manhã, o petróleo ainda estava em direção a ganhos na semana, já que participantes do mercado aguardavam a mais recente aferição da produção de shale oil dos EUA.

Contratos futuros de petróleo bruto WTI, negociados em Nova York, tinham perdas de US$ 0,18, ou cerca de 0,3%, e eram negociados a US$ 71,31 o barril às 11h26.

Além disso, contratos futuros de petróleo Brent, referência para preços do petróleo fora dos EUA, recuavam US$ 0,05, ou cerca de 0,5%, para US$ 79,25 o barril.

O petróleo dos EUA e o Brent estavam no caminho de ganhos na semana em torno de 0,9% e 2,8%, respectivamente, já que sanções contra Irã, importante país exportador de petróleo, a crise econômica na Venezuela e sinais de forte demanda deram sustentação aos preços nesta semana.

O petróleo dos EUA está em ascensão desde que o presidente Donald Trump anunciou em 8 de maio que os EUA estavam se retirando do acordo nuclear iraniano e iriam impor novamente sanções.

Participantes do mercado esperam amplamente que as sanções impostas levem a uma oferta mundial mais reduzida de petróleo, já que tornam mais difícil para o Irã exportar petróleo.

O Irã, que é um grande produtor de petróleo do Oriente Médio e membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), retomou seu papel como um grande exportador de petróleo em janeiro de 2016, quando as sanções internacionais contra Teerã foram removidas em troca de restrições ao programa nuclear iraniano.

Também aumentando as preocupações com a oferta, a inquietação se instalou na Venezuela antes das eleições presidenciais de domingo que nações como EUA, União Europeia, México, Brasil e Colômbia classificaram como “ilegítimas”.

A produção na Venezuela caiu para 1,5 milhão de barris no mês passado, seu nível mais baixo em décadas devido à crise econômica em curso.

Com relação aos Estados Unidos, os preços do petróleo também obtinham sustentação devido a dados de estoques do país divulgados na quarta-feira pela Administração de Informação de Energia do país (EIA, na sigla em inglês), que mostraram que os estoques de petróleo e de gasolina tiveram redução maior do que se esperava na semana passada.

Os estoques de petróleo dos EUA tiveram redução de 1,404 milhão de barris na semana encerrada em 11 de maio, superando as expectativas de redução de 0,763 milhão de barris, ao passo que estoques de gasolina tiveram redução de 3,790 milhões de barris, superando expectativas de redução de 1,421 milhão de barris.

Ainda nesta sexta, a mais recente apresentação semanal da atividade de extração da Baker Hughes irá fornecer aos investidores uma nova visão sobre a produção e demanda de petróleo dos EUA.

Os dados da semana passada mostraram que o número de sondas de petróleo ativas nos EUA subiu pela sexta semana consecutiva, alimentando preocupações de que o aumento da produção estadunidense poderia eventualmente atrapalhar os esforços conduzidos pela Opep para reduzir a produção e equilibrar os mercados.

Em outras negociações de energia, contratos futuros de gasolina avançavam 0,2% para US$ 2,2534 o galão às 11h26, ao passo que o óleo de aquecimento tinha alta de 0,2% e era negociado a US$ 2,2856 o galão.

Contratos futuros de gás natural recuavam 0,2%, para US$ 2,854 por milhão de unidades térmicas britânicas.