Petróleo fecha em baixa após mercado amenizar risco de ameaças de Trump ao Irã

jul 23, 2018

Os preços do petróleo WTI fecharam em queda nesta segunda-feira, com a redução das preocupações dos investidores sobre uma interrupção da oferta global provocada por ameaças entre os EUA e o Irã.

Na Bolsa Mercantil de Nova York, o contrato futuro do WTI para entrega em setembro caiu US$ 0,37, para US$ 67,89 por barril, enquanto na Bolsa Intercontinental de Londres, o Brent registrou leve alta e encerrou o dia negociado a US$ 73,10 por barril.

Preocupações sobre uma redução brusca na oferta de petróleo voltaram nesta segunda-feira, ainda que brevemente, depois que o presidente Donald Trump avisou seu homólogo iraniano, Hasan Rouhani, que ameaças contra os EUA seriam enfrentadas "com consequências que poucos sofreram na história". O tuíte de Trump veio quando Rouhani disse que políticas hostis dos EUA em relação a Teerã poderiam levar "a mãe de todas as guerras."

Trump disse em maio que os Estados Unidos deixariam o acordo nuclear firmado com o Irã em 2015, abrindo caminho para o retorno das sanções, o que vai reduzir as exportações de petróleo energia da república islâmica.

No entanto, a perspectiva de uma queda brusca nas exportações de petróleo iraniano diminuiu nas últimas semanas, uma vez que os EUA acenaram com a concessão de waivers de sanções para alguns compradores de petróleo do país persa.

Alguns analistas do mercado também citaram a escalada das tensões da guerra comercial entre os EUA e a China como um obstáculo para novas altas, mantendo alguns investidores de olho no impacto da redução do crescimento global – e da demanda por petróleo. O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, afirmou durante reunião do G20 que novas tarifas podem estar a caminho.

"É definitivamente uma possibilidade realista", disse Mnuchin sobre Trump, após a ameaça de impor tarifas sobre todos os US$ 500 bilhões em bens importados dos EUA da China a cada ano.

Trump ameaçou na sexta-feira impor tarifas sobre exportações chinesas, a menos que Pequim concorde com grandes mudanças em suas políticas de transferência de tecnologia, subsídios industriais e joint-ventures.

O começo tímido da semana para os preços do petróleo ocorre após dados mostrarem na sexta-feira que os especuladores reduziram pela segunda semana consecutiva suas apostas em uma alta da commodity.

Os dados do CFTC mostraram que os administradores de fundos reduziram suas posições compradas líquidas de petróleo para 631.300 lotes de 654.500 lotes para a semana encerrada em 17 de julho.