Petróleo em alta devido a preocupações com oferta e Irã promete manter vendas

jul 10, 2018

A cotação do petróleo estava em alta nesta terça-feira em meio à escassez de oferta, embora o Irã tenha prometido vender o máximo de petróleo que conseguir.

Os contratos futuros do petróleo West Texas avançavam 0,84% para US$ 74,47 o barril às 11h00. Além disso, os contratos futuros de petróleo Brent, referência para preços do petróleo fora dos EUA, tinham alta de 1,65% e eram negociados a US$ 79,36 o barril.

O vice-presidente do Irã, Eshaq Jahangiri, disse que as tentativas dos EUA de deter as exportações de petróleo teriam um impacto, mas o país ainda venderá tanto petróleo quanto puder.

Donald Trump, presidente dos EUA, disse aos países que parem de comprar petróleo do Irã até o dia 4 de novembro ou enfrentarão consequências. Trump se retirou do acordo nuclear internacional com Teerã em maio.

Enquanto isso, uma greve na Noruega também impulsionava os preços. Espera-se que os trabalhadores em plataformas de petróleo e gás norueguesas entrem em greve após rejeitarem um acordo salarial. A greve provavelmente terá impacto nos níveis de produção. Uma interrupção em uma instalação de petróleo no Canadá também reduziu a produção encaminhada aos EUA, enquanto a produção caiu na Líbia e a Venezuela, o que também aumentou o preço do petróleo.

Além disso, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo concordou em junho em elevar a produção com um aumento nominal de 1 milhão de barris por dia em meio à pressão dos EUA para reduzir os preços. Enquanto os membros da Opep acrescentarão cerca de 700 mil barris por dia, os fornecedores de petróleo externos à organização, liderados pela Rússia, acrescentariam o restante. Investidores temem que o aumento na oferta possa esgotar a capacidade ociosa e aumentar a volatilidade do mercado.

Em outras negociações de energia, os contratos futuros de gasolina RBOB avançavam 0,86% para US$ 2,1715 o galão, ao passo que o óleo de aquecimento tinha ganhos de 1,56% e era negociado a US$ 2,2300 o galão. Os contratos futuros de gás natural estavam em baixa de 0,60% e eram negociados a US$ 2,811 por milhão de unidades térmicas britânicas.