Petróleo cai após IEA alertar contra sanções sobre o Irã

ago 10, 2018

A cotação do petróleo bruto dos EUA estava em baixa nesta sexta-feira, já que a Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) alertou que o recente resfriamento no mercado pode não durar muito.

"O recente resfriamento do mercado, com a flexibilização da oferta de curto prazo, preços atualmente mais baixos e menor crescimento da demanda, pode não durar", disse a agência com sede em Paris em seu relatório mensal.

A IEA manteve sua previsão de crescimento da demanda por óleo em 2018 inalterada em 1,4 milhão de barris por dia, mas elevou sua previsão para 2019 em cerca de 110.000 barris por dia, para 1,49 milhão barris por dia.

Os contratos futuros do petróleo West Texas recuavam 0,21% para US$ 66,67 o barril às 06h08. Além disso, os contratos futuros de petróleo Brent, referência para preços do petróleo fora dos EUA, recuavam 0,25%, para US$ 71,89 o barril.

A IEA alertou que as sanções iminentes contra o Irã podem trazer turbulências ao mercado no final do ano. As sanções dos EUA que visam o petróleo iraniano são esperadas para o início de novembro e podem aumentar o potencial de escassez global de fornecimento de energia.

Muitos países, incluindo Europa, China e Rússia, se opõem às sanções, mas a Casa Branca quer que outros países parem de comprar petróleo do Irã.

"À medida que as sanções petrolíferas contra o Irã entrarem em vigor, talvez em combinação com problemas de produção em outros lugares, a manutenção da oferta global pode ser muito desafiadora e custaria a manutenção de uma reserva de capacidade adequada", disse a AIE.

Os preços do petróleo subiram nos últimos meses, já que a demanda por petróleo superou a oferta, mas esfriaram nas últimas semanas em meio a tensões comerciais e interrupções no fornecimento.

Investidores também aguardam a contagem de sondas da Baker Hughes, que é um indicador importante sobre a produção de petróleo e a demanda de derivados de petróleo; estes dados serão divulgados às 14h00.

Em outras negociações de energia, os contratos futuros de gasolina RBOB avançavam 0,36% para US$ 2,0088 o galão, ao passo que o óleo de aquecimento tinha ganhos de 0,03% e era negociado a US$ 2,1125 o galão. Os contratos futuros de gás natural estavam em baixa de 0,30% e eram negociados a US$ 2,946 por milhão de unidades térmicas britânicas.