Ouro sobe diante da liquidação de ações, PIB dos EUA em destaque

out 26, 2018

Os preços do ouro subiram na sexta-feira, com os decepcionantes os lucros que atingiram as ações asiáticas e européias, provocando a fuga para o ativo de porto seguro, enquanto os mercados esperavam a leitura mais recente do crescimento na maior economia do mundo.

Às 4h26, os contratos futuros de ouro para entrega em dezembro na divisão Comex da New York Mercantile Exchange ganhavam US$ 7,70, ou 0,63%, sendo negociado a US$ 1.236,80 por onça-troy, recuando dos US$ 1.237,80 que alcançou na terça-feira em meio a tensões geopolíticas latentes..

Sinais preocupantes das corporações peso-pesados dos EUA como a Alphabet (NASDAQ:GOOGL) e a Amazon (NASDAQ:AMZN que divulgaram lucros após o encerramento de terça-feira, atenuaram o entusiasmo por ações na Ásia.

A controladora do Google viu seus papéis cairem quase 4% durante o pregão depois que sua receita do terceiro trimestre ficou abaixo das previsões, enquanto as ações do varejista on-line despencaram mais de 7% como seu vendas e lucro operacional ficaram aquém das estimativas.

O pessimismo se espalhou pela Europa no início do pregão na sexta-feira, com todos os principais índices caindo mais de 1%.

Embora o sentimento de risco tenha impulsionado os preços do ouro, os comerciantes estavam cautelosos antes da publicação produto interno bruto dos EUA do terceiro trimestre às 9h30.

As estimativas dos analistas apontam para um crescimento esperado de 3,3% que, embora mais lento do que a expansão de 4,2% observada no trimestre anterior, colocaria economia americana a caminho de apresentar sua melhor expansão anual em 13 anos.

Também na pauta econômica, a Universidade de Michigan irá publicar sua revisão da percepção do consumidor para outubro.

Quanto a outros negócios de metais, os contratos futuros da prata avançavam 0,30% a US$ 14,655 a onça-troy por volta das 4h31.

Os contratos futuros de paládio avançavam 0,17%, para US$ 1.089,50 a onça, enquanto a platina caía 0,28%, para US$ 829,60.

Em metais de base, o cobre estava em baixa de 1,00%, negociado a US$ 2,721 a libra.