Ouro continua a cair em meio à turbulência geopolítica

mai 29, 2018

Investing.com - A cotação do ouro caía nesta terça-feira, já que a incerteza política na Europa continuava a chocar os mercados em todo o mundo enquanto a Casa Branca anunciava que estava avançando com as tarifas chinesas.

Na divisão Comex da Bolsa Mercantil de Nova York, contratos futuros de ouro com vencimento em junho recuavam 0,54% para US$ 1.296,60 a onça troy por volta das 11h42.

O metal precioso tinha ganhos limitados embora a crise política italiana continuasse e o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, enfrentasse oposição no parlamento.

Os partidos antissistema da Itália abandonaram durante o fim de semana os planos de formar um governo de coalizão depois que o presidente do país, Sergio Mattarella, se recusou a aceitar seu candidato eurocético para ministro da economia. Carlo Cottarelli, um ex-funcionário do Fundo Monetário Internacional, foi convidado a formar um novo governo, com eleições antecipadas esperadas já em agosto.

Enquanto isso, na Espanha, o primeiro-ministro Mariano Rajoy enfrentará um voto de desconfiança na sexta-feira devido a vereditos de corrupção de pessoas ligadas ao seu partido.

Já nos EUA, o presidente Donald Trump avançava com as restrições de comércio e de investimento em relação à China, incluindo as tarifas sobre o equivalente a US$ 50 bilhões em mercadorias chinesas.

O preço do metal se dirigia para baixo devido à alta da moeda norte-americana.

O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais moedas, estava em 94,65, máxima de cinco meses.

O ouro é cotado na moeda norte-americana e é sensível a movimentos do dólar. O metal se torna mais caro para detentores de outras moedas quando o dólar sobe.

Ainda na divisão Comex, contratos futuros da prata tinham queda de 0,94% e eram negociados a US$ 16,395 por onça troy. Quanto a outros metais preciosos, a platina avançava 0,67% para US$ 907,30, enquanto o paládio avançava 0,41% para US$ 979,70 a onça. Contratos futuros do cobre avançavam 0,11% para US$ 3,081 por libra.