Opep reduz previsão de demanda de petróleo; Cita comércio e risco nos emergentes

set 12, 2018

O crescimento da demanda por petróleo deverá desacelerar em 2019 devido a tensões comerciais e problemas nos mercados emergentes, afirmou a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e Rússia em seu relatório mensal nesta quarta-feira.

O crescimento da demanda global de petróleo para 2019 foi reduzido em 20.000 barris por dia (bpd) para 1,41 milhão bpd, enquanto a oferta de petróleo não-OPEP em 2019 foi aumentada em 20.000 bpd para 2.15 milhões bpd.

Os crescentes desafios nos mercados emergentes e as tensões comerciais são um risco para a atual economia global, disse a OPEP.

"Uma combinação do ajuste monetário dos bancos centrais ao G4, o enfraquecimento da situação financeira em algumas economias emergentes e em desenvolvimento, o aumento das tensões comerciais e preocupações geopolíticas em curso em algumas partes do mundo constituem desafios para a atual tendência de crescimento econômico global", disse o relatório.

Enquanto isso, a produção total dos países da OPEP aumentou em 278.000 bpd, para 32,57 milhões bpd, liderada pelo aumento na produção da Arábia Saudita de 124.000 bpd em agosto. Os estoques não-OPEP em julho foram de 43 milhões de barris / dia, abaixo da média de cinco anos e do nível originalmente previsto pelo acordo de corte de oferta da Opep.

A OPEP concordou em junho em aumentar a produção com um aumento nominal de 1 milhão de barris por dia (bpd) em meio à pressão dos EUA para diminuir os preços.

Após o relatório, os futuros do petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) subiram 0,88%, para US$ 69,86 por barril, às 8h31.

Contratos futuros de petróleo Brent, referência para preços do petróleo fora dos EUA, avançavam 0,24%, para US$ 79,25 o barril.