MRV opera em recua quase 3% com queda no lucro líquido do terceiro trimestre

nov 08, 2018

As ações da MRV Engenharia (SA:MRVE3) operam em queda de 2,91% a R$ 12,03 na bolsa paulista. Na noite de ontem a companhia informou que teve um lucro líquido menor no terceiro trimestre, apesar de forte geração de caixa e receita recorde para o período, mas está confiante que encerrará o ano com resultados mais fortes, atingindo a meta de 50 mil unidades lançadas.

Para o Banco do Brasil Investimentos (BB-BI), os resultados do trimestre da MRV vieram neutros. Por um lado, a companhia manteve um volume positivo de lançamentos visando ao alcance de sua meta. No entanto, enfrentou maiores dificuldades no processo de transferência de vendas no estado de São Paulo, o que ainda pode vir prejudicar as vendas no próximo trimestre.

Os analistas destacam que, do lado financeiro, a MRV continua apresentando aumento de receita líquida e manutenção de margens em patamares saudáveis, apesar de uma base de comparação anual ligeiramente prejudicada devido a um evento não recorrente no 3T17.

O BB-BI fez alguns ajustes em nas premissas de lançamento e vendas para incorporar os resultados mais recentes. As principais alterações consistem em uma visão mais otimista sobre as unidades lançadas para 2018 e 2019 (44,6 e 51,3 mil unidades, respectivamente), mas uma expectativa menor em relação às vendas brutas em 2018 devido à transferência de parte dessas vendas para o início de 2019.

Com isso, o banco manteve a recomendação outperform, atualizando o preço-alvo para 2019 para R$ 18,60.

Balanço

"As vendas foram muito fortes em outubro, principalmente nos 10 últimos dias, e historicamente o quarto trimestre é bom, então estamos otimistas de que será melhor que o terceiro", disse à Reuters o copresidente da maior construtora de imóveis econômicos da América Latina, Rafael Menin.

No trimestre encerrado em 30 de setembro, a MRV teve lucro líquido de 174 milhões de reais, 13,8 por cento inferior ao apurado um ano atrás e abaixo da estimativa média de 176,2 milhões de reais apurada pela Refinitiv.

O desempenho operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) caiu 12,7 por cento na mesma comparação, para 238 milhões de reais, também inferior à expectativa de 253,9 milhões de reais em levantamento da Refinitiv.