Moedas - Euro em alta depois de notícias do Orçamento Italiano, Dólar mais baixo

out 03, 2018

O euro se recuperou na quarta-feira, recuperando-se de cinco dias de perdas, conforme relatos de que a Itália planeja reduzir seu déficit orçamentário após o próximo ano, o que aliviou as preocupações com a perspectiva de um déficit mais amplo, que tinha abalado os mercados.

O par EUR/USD avançava 0,23%, para 1,1573 às 05h05, recuperando-se da mínima de um mês e meio de terça-feira, de 1,1504.

Os jornais italianos informaram que o governo populista da Itália reduzirá suas metas de déficit orçamentário para 2020 e 2021 para 2,2% e 2%, respectivamente, e manterá seu plano de 2,4% para 2019.

O governo havia dito inicialmente que planejaria um déficit de 2,4% nos próximos três anos, o que teria violado as regras fiscais da União Européia, assustando os mercados e levando a críticas da Comissão Européia.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, deveria realizar uma reunião de gabinete no final do dia para discutir a situação. A Itália precisa enviar seu projeto de plano orçamentário para a CE até meados de outubro.

O euro também subiu em relação ao iene, com o valor do para EUR/JPY subindo 0,46%, para 131,87, após ter atingido a mínima de duas semanas, de 131,18, na terça-feira.

O dólar foi ligeiramente mais fraco em relação a uma cesta de moedas, com o o índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada das seis principais divisas, deslizando 0,16% para 94,99.

O dólar subiu face ao iene uma vez que o apetite pelo risco se recuperou, com o par USD/JPY subindo 0,19% para negociação a 113,87.

A libra subiu mais, com o par GBP/USD chegando em 1,2997, depois de cair na terça-feira, para 1,2940, o nível mais fraco desde 10 de setembro. enquanto os investidores permaneceram pessimistas sobre as perspectivas para as negociações Brexit.

Investidores aguardam o índice da atividade não-industrial do Instituto de Gestão de Suprimentos (ISM), e sobre as folhas de pagamento não agrícolas da ADP no final do dia, antes do relatório das folhas de pagamento não agrícolas do governo americano, que será anunciado na sexta, para ter indicações de que a economia continua no caminho certo.