Localiza lidera perdas do Ibovespa após resultado impactado pela greve

jul 27, 2018

No começo da tarde desta sexta-feira na bolsa paulista, as ações da Localiza (SA:RENT3) operam com forte desvalorização de 3,78% a R$ 24,47, liderando assim perdas do principal índice da B3. A companhia divulgou resultado considerado abaixo do esperado pelo mercado.

Para os analistas da Coinvalores, o resultado aquém do esperado para o trimestre, sendo que o crescimento já era esperado devido a incorporação pela Hertz Brasil. A evolução aconteceu, mas não na proporção que as projeções de mercado indicavam.

A receita líquida subiu 29,3%, o EBITDA 16,4% e o lucro líquido 9,7% entre os períodos. Segundo a Localiza, os efeitos negativos da greve dos caminhoneiros e o acordo coletivo retroativo a dezembro do ano para os funcionários de Minas Gerais impactaram os resultados deste trimestre em cerca de R$ 39 milhões no EBITDA e em R$ 29 milhões o lucro líquido. Desconsiderando esses fatores, seu desempenho teria ficado dentro das previsões.

A XP Investimentos também considera que os números ficaram ligeiramente abaixo do esperado, com EBITDA de R$ 348 milhões (+16% a/a), praticamente em linha com números esperados pela corretora, mas 5% abaixo do consenso.

A corretora também destaca que excluindo efeitos pontuais, o EBITDA teria atingido R$ 387 milhões, acima das projeções e consenso. O crescimento do volume de diárias surpreendeu positivamente, mas isso foi compensado por tarifas menores e números mais fracos do que o esperado em Seminovos.

O lucro líquido de R$ 142 milhões foi +10% a/a, mais fraco do que a estimativa e o consenso sem ajustar pelos efeitos não recorrentes. A diferença entre o ROIC e o custo da dívida diminuiu em relação ao trimestre anterior, mas permaneceu constante em relação a 2017.

Para os analistas, apesar de ser esperada uma reação negativa, os volumes e margens ajustadas surpreenderam no lado positivo.

Resultado

A locadora e gestora de frotas Localiza teve lucro líquido de 141,9 milhões de reais no segundo trimestre, alta de 9,7 por cento em relação ao mesmo período de 2017, apesar de impactos da greve dos caminhoneiros, que paralisou estradas do país e interrompeu fluxo de combustíveis.

A empresa, maior do setor no país, ainda apurou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de 347,6 milhões de reais entre abril e junho, aumento de 16,4 por cento na comparação anual.

A companhia afirmou que a paralisação de caminhoneiros no final de maio, aliada aos efeitos da Copa do Mundo e acordo trabalhista, impactaram o lucro em 29 milhões de reais e Ebitda em 39 milhões. Além disso, houve redução da receita estimada em cerca de 15 milhões de reais e custos adicionais estimados em cerca de 2 milhões, associados a abastecimento e logística.