JP Morgan rebaixa ADRs da Petrobras de overweight para neutra

jun 01, 2018

Investing.com - Com o pedido de demissão de Pedro Parente na presidência da Petrobras, o JP Morgan rebaixou a recomendação para as ADRs da estatal de overweight para neutra. Em comunicado em enviado a clientes, o banco de investimentos destacou que o momento é para ficar de lado e esperar uma maior clareza quanto a situação da companhia.

Com isso, as ADRs (NYSE:PBR) caem 12,35% US$ 10,40, enquanto, por aqui, as PN (SA:PETR4) perdem 12,33% a R$ 16,64 e as ON (SA:PETR3) 12,26% a R$ 19,47.

Apesar da saída de Parente, os analistas do JP Morgan acreditam que o impacto foi neutralizado pela manutenção da diretoria. O banco destaca que o cenário sobre a política de reajustes de preços ainda está indefinida.

Demissão após greve

Pedro Parente pediu demissão da presidência da Petrobras, informou a empresa nesta sexta-feira (1/6). O conselho de administração da petroleira irá se reunir ainda hoje para nomear um CEO interino.

O executivo estava sob intensa pressão após reduzir unilateralmente o preço do diesel em meio à greve dos caminhoneiros, em um movimento visto como uma concessão política. O corte no preço do combustível não seguiu as regras de precificação aprovadas pela Petrobras no ano passado.

A percepção de que a política tomou conta da diretoria comandada pelo até então considerado independente Pedro Parente provocou um sell-off nas ações da petroleira, que chegaram a ceder mais de 30% em relação ao seu pico de oito anos de R$ 27,54 alcançado em meados de maio.

Parente e agentes do governo tentaram minimizar a situação tentando descolar a decisão da empresa do Planalto, mas o estrago já estava feito e a companhia foi rebaixada por diversos bancos e corretoras. Informações de que o executivo não permaneceria à frente da companhia surgiram na imprensa, mas foi descartada à época pelo próprio Parente e por ministros do governo. Antes de deixar o cargo, o CEO ainda enfrentou uma greve dos petroleiros.

Com Reuters.