Ibovespa futuro inicia sessão com forte queda e abaixo dos 80 mil pontos

mai 24, 2018

Investing.com - O índice futuro do Ibovespa inicia a sessão desta quinta-feira com forte queda de 1,95% aos 79.545 pontos, voltando a ser negociado abaixo dos 80 mil pontos pela primeira vez desde janeiro deste ano. As incertezas persistentes na cena externa, como o impasse comercial entre Estados Unidos e China, deixam o sinal amarelo aceso para os investidores e também a redução do preço do diesel no Brasil.

O mercado reage também à decisão da Petrobras (SA:PETR4) de reduzir o preço do diesel nas refinarias em 10% por 15 dias. A medida, temporária, foi tomada para amenizar a greve dos caminhoneiros que ameaça paralisar diversos serviços pelo país. No entanto, com o governo com pouco espaço reduzir impostos sobre os combustíveis, as pressões para que a estatal mude sua política de preços devem aumentar.

Lá fora, a cautela prevalece em meio a novas preocupações sobre as tensões comerciais entre a China e os EUA. O presidente americano, Donald Trump, sinalizou uma nova direção nas negociações comerciais com a China e disse que qualquer acordo precisaria de "uma estrutura diferente", alimentando a incerteza sobre as negociações atuais.

Somando-se às preocupações dos investidores, a administração Trump lançou uma investigação de segurança nacional sobre as importações de carros e caminhões que poderia levar a novas tarifas dos EUA semelhantes às impostas ao aço importado e ao alumínio em março.

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,11 por cento, a 22.437 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,31 por cento, a 30.760 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,44 por cento, a 3.154 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,69 por cento, a 3.827 pontos.

Na Europa, com os mercados abertos, o DAX, de Frankfurt, opera em queda de 0,06% aos 12.974,93 pontos, enquanto em Londres, o FTSE recua 0,09% aos 7.780,99 pontos. Já em Paris, o CAC soma 0,40% aos 5.587,94 pontos.

Commodities

Após três dias consecutivos de perdas, os contratos futuros do minério de ferro encerram a sessão desta quinta-feira, na bolsa de mercadorias e futuros de Dalian, com ganhos de 0,99% a 459,50 iuanes por tonelada, para os ativos com data de vencimento em setembro deste ano. A variação diária foi de 4,5 iuanes.

Já para o vergalhão de aço, negociado em Xangai, os preços dos contratos com data de entrega em outubro tiveram ganhos de 42 iuanes, indo para um total de 3.583 iuanes para cada tonelada do produto. Já o segundo ativo de maior liquidez, de janeiro de 2019, tem valorização de 35 iuanes para 3.511 iuanes por tonelada.

No caso do petróleo, a quinta-feira é de queda nas cotações internacionais, com o barril do tipo WTI, negociado em Nova York, perde 1,02%, ou US$ 0,73, a US$ 71,11. Já no outro lado do oceano, em Londres, o Brent cai 0,96%, ou US$ 0,77, a US$ 79,023.

Mercado Corporativo

A Petrobras anunciou que reduzirá em 10 por cento o valor do diesel nas refinarias a partir de quinta-feira, em uma decisão "excepcional" devido aos protestos dos caminhoneiros, que deve resultar em perda de 350 milhões de reais em receita para a companhia.

Em meio às manifestações, que afetam as exportações e o abastecimento interno do país, a empresa anunciou ainda que a nova cotação média do diesel, de 2,1016 reais por litro (sem tributos), será mantida por 15 dias. O valor representa uma redução de 0,2335 real por litro.

A medida, disse o presidente-executivo da Petrobras, Pedro Parente, visa permitir um diálogo entre governo e representantes dos caminhoneiros diante dos recentes protestos, mas não foi muito bem recebida pelo mercado.

A aprovação da medida provisória 814/17 era uma condição básica para viabilizar a privatização da Eletrobras (SA:ELET3), e a decisão do Congresso Nacional na terça-feira de não levar adiante a votação da matéria caiu como um balde de água fria sobre executivos de empresas do setor de energia e sobre a própria Eletrobras.

O presidente da estatal, Wilson Ferreira Jr., admitiu que o enorme desafio de levar adiante o processo de desestatização da maior elétrica da América do Sul em meio a um ano eleitoral no Brasil agora fica maior, e disse que já tem tratado com o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, sobre como encontrar soluções para o que definiu como "emergência".

A companhia de alimentos e carne bovina Marfrig (SA:MRFG3) afirmou nesta quarta-feira que algumas unidades da empresa devem reduzir ou suspender temporariamente a produção por causa dos efeitos da greve dos caminhoneiros.

A empresa não deu detalhes sobre as unidades afetadas pela mobilização dos motoristas, iniciada na segunda-feira e que deve ser mantida na quinta-feira após falta de acordo mais cedo entre representantes da categoria e do governo federal.

A Triunfo Participações informou que o pedido de recuperação judicial da concessionária do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), foi deferido. Em comunicado na noite de quarta-feira, a Triunfo disse que o prazo para apresentação do plano de recuperação judicial é de 60 dias e o prazo de "stay period", no qual todas as ações ou execuções contra as empresas permanecerão suspensas, é de 180 dias.

Agenda de Autoridades

Antes de viajar para Porto Real (RJ) e Belo Horizonte (MG), o presidente Michel Temer coordena hoje, no Palácio do Planalto, reunião para discutir o impasse em torno dos preços dos combustíveis. A conversa ocorre no dia seguinte ao anúncio da Petrobras de redução de 10% no valor do diesel nas refinarias por 15 dias.

Temer convocou para a reunião os ministros Eduardo Guardia (Fazenda), Moreira Franco (Minas e Energia), Valter Casemiro (Transportes, Portos e Aviação), o presidente da Petrobras, Pedro Parente, e o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

A quinta-feira do ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, participa na parte da manhã da Reunião ordinária do Conselho de Administração da Vale (SA:VALE3) por videoconferência. O restante do dia será destinado a despachos internos.

Com Reuters.