Ibovespa futuro inicia quinta-feira com desvalorização

jun 21, 2018

Investing.com - O índice futuro do Ibovespa inicia a sessão desta quinta-feira com desvalorização de 0,62% aos 72.352 pontos, após ter um novo dia de ganhos na véspera. Na Europa e nos Estado Unidos, o desempo dos índices acionários apontam para um dia negativo para os mercados.

O mercado segue atento às questões comerciais entre os EUA e China. Hoje, Ministério do Comércio chinês acusou os EUA de ser "caprichoso" em relação às questões comerciais bilaterais, e alertou que os interesses dos trabalhadores e produtores agrícolas norte-americanos acabarão sendo afetados.

Por aqui, o mercado deve repercutir a decisão do Banco Central de manter a taxa de juros em 6,50%, como esperado e pela segunda vez seguida, citando piora no mercado externo e, ao mesmo, recuperação "mais gradual" da economia brasileira neste ano após a greve dos caminhoneiros.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) variou 1,11% em junho, mostrando forte aceleração (0,97 ponto percentual p.p.) em relação a maio (0,14%). A taxa de 1,11% em junho repete a de junho de 1996 e foi a maior variação para um mês de junho desde 1995 (2,25%). O IPCA-E, que é o IPCA-15 acumulado por trimestre, situou-se em 1,46%, acima da taxa de 0,61% registrada no mesmo período de 2017. Com isso, o acumulado no ano está em 2,35%, acima do 1,62% registrado em 2017. O acumulado nos últimos 12 meses foi 3,68%, acima dos 2,70% registrados nos 12 meses anteriores. Em junho de 2017 a taxa foi 0,16%.

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,61 por cento, a 22.693 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,35 por cento, a 29.296 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,38 por cento, a 2.875 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,17 por cento, a 3.593 pontos.

Na Europa, com os mercados abertos, o DAX, de Frankfurt, registra queda de 0,60% aos 12.604,26 pontos, enquanto em Londres o FTSE tem queda de 0,33% aos 7.603,15 pontos. Já em Paris, o CAC cai 0,33% aos 5.354,83 pontos.

Commodities

A jornada desta quinta-feira foi marcada pela valorização nos preços dos contratos futuros minério de ferro, negociados na bolsa de mercadorias de Dalian, na China. Os ativos com data de vencimento em setembro tiveram alta de 0,22%, ou 1,00 iuan, para um total de 453,0 iuanes para cada tonelada do produto.

No caso do vergalhão de aço, que tem os papéis futuros transacionados em Xangai, os contratos para outubro tiveram desvalorização de 15 iuanes para um total de 3.773 iuanes para cada tonelada da commodity. O segundo ativo de maior liquidez, para janeiro de 2019, teve perdas de 3 iuanes para um total de 3.604 iuanes por tonelada.

No caso do petróleo, o barril do tipo WTI tem forte queda de 1,32%, ou US$ 0,87, a US$ 64,84, em Nova York. Já em Londres, o Brent opera om desvalorização de 1,40%, ou US$ 1,05, a US$ 73,69.

Mercado Corporativo

A divisão de caminhões e ônibus da alemã Volkswagen planeja uma oferta pública inicial de ações (IPO, em inglês) em 2019 e pode levantar mais de 6 bilhões de euros (6,9 bilhões de dólares) com a listagem de uma fatia de cerca de 25 por cento do negócio, disse o presidente-executivo da unidade, Andreas Renschler, à Manager Magazin.

Questionado se a divisão, que deve ser renomeada de Traton, conseguiria levantar 6 bilhões de euros, Renschler disse: "Pode ser um pouco mais que isso". A Volkswagen anteriormente havia informado que planejava a listagem integral ou parcial da divisão de caminhões, mas que a operação não ocorreria em 2018.

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, afirmou que o governo federal acompanha os desdobramentos da disputa comercial travada entre Estados Unidos e China, que pode ter impactos na redução do preço das commodities agrícolas no mercado internacional.

Na semana passada, o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou sobretaxas no valor de US$ 50 bilhões sobre centenas de produtos chineses que entram nos EUA. Como retaliação, o governo chinês também aplicou uma taxação equivalente contra uma extensa lista de itens comprados dos Estados Unidos, incluindo produtos agropecuários.

A empresa de alimentos BRF (SA:BRFS3) informou nesta quarta-feira que concedeu férias coletivas a 5,6 mil empregados de quatro fábricas no Sul do país, enquanto tenta ajustar a produção aos efeitos da greve dos caminhoneiros.

Cerca de 1.400 empregados na unidade de Chapecó (SC) terão férias coletivas de 30 dias. Já na unidade de Lajeado (RS) aproximadamente mil empregados da produção ficarão afastados por 10 dias.

Na fábrica de Concórdia (SC), as férias coletivas vão durar 12 dias e envolverão cerca de 1.700 colaboradores da produção de frangos. Por fim, a planta gaúcha de Serafina Correa terá aproximadamente 1,5 mil empregados em férias por 10 dias.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira o texto principal de projeto que que autoriza a Petrobras (SA:PETR4) a vender até 70 por cento da participação em campos da chamada cessão onerosa.

O texto, que ainda pode ser alterado durante a votação de emendas, prevê que os campos cedidos pela União à empresa poderão ser negociados e ter a titularidade transferida, desde que seja preservada a participação da estatal em no mínimo 30 por cento do consórcio formado, mediante autorização prévia da Agência Nacional de Petróleo (ANP) e a manutenção do objeto e das condições contratuais.

A petroquímica Braskem (SA:BRKM5) informou que a taxa de utilização de suas fábricas no Brasil voltou à normalidade, conforme a companhia se recupera dos efeitos da greve dos caminhoneiros no país, no mês passado.

No dia 30 de maio, a Braskem havia informado que a paralisação de 11 dias dos caminhoneiros teve graves consequências sobre o transporte de cargas, atingindo parcialmente suas operações.

Agenda de Autoridades

O presidente Michel Temer viaja nesta quinta-feira para Boa Vista (RR) para acompanhar a situação dos refugiados venezuelanos na capital de Roraima. Temer visitará abrigos, posto de identificação e recepção, de triagem, posto de atendimento avançado e área de apoio da Operação Acolhida.

Viajando para os Estados Unidos, o ministro da Fazenda, Eduard Guardia, terá reuniões nesta quinta-feira com Hector Gómez Ang, senior country manager no IFC; Alexandre Tombini, diretor executivo do Brasil no FMI; com representantes dos Departamentos de Assuntos Fiscais e do Hemisfério Ocidental do FMI; com David Lipton, vice diretor-gerente do FMI; e finalmente com Steven Mnuchin, secretário do Tesouro dos Estados Unidos.

Com Reuters.