Ibovespa futuro abre em queda repercutindo cenário eleitoral

set 25, 2018

Após fechar em forte queda na sessão de ontem, o índice futuro do Ibovespa abre em nova queda expressiva nesta terça-feira, recuando 1,43% aos 77.150 pontos, como os investidores repercutindo o cenário eleitoral local.

Os índices acionários chineses recuaram nesta terça-feira, no primeiro dia de negociação após as novas tarifas comerciais dos Estados Unidos e da China entrarem em vigor na segunda-feira, enquanto as empresas imobiliárias recuaram por preocupações com a possibilidade do fim de um sistema de pré-venda.

Os dois países impuseram novas tarifas sobre produtos um do outro na segunda-feira, à medida que as maiores economias do mundo não mostraram sinais de recuar em uma disputa comercial cada vez mais intensa que deve atingir o crescimento econômico global.

Sem indicadores de destaque na agenda americana, o mercado segue na expectativa da reunião do Fomc, que começa hoje e termina amanhã. O consenso é que o Federal Reserve deve elevar a taxa de juros de 1,75% a 2,00%, para de 2,00% a 2,25%. Além disso, a reunião deve confirmar a necessidade de uma nova alteração dos juros ainda neste ano.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo registrou alta de 0,36 por cento na terceira quadrissemana de setembro, depois de subir 0,30 por cento na segunda leitura do mês, informou nesta terça-feira a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

O IPC-Fipe mede as variações quadrissemanais dos preços às famílias paulistanas com renda mensal entre 1 e 10 salários mínimos.

Pesquisa feita pelo Ibope em parceria com a Rede Globo e o jornal O Estado de S.Paulo no fim de semana com 2.506 eleitores mostra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, mantendo a liderança na preferência dos eleitores, com 28% das intenções de voto, mesmo nível da pesquisa feita dia 18. Já o candidato do PT, Fernando Haddad, subiu de 19% para 22%, consolidando o segundo lugar.

A pesquisa mostra ainda que Bolsonaro piorou e perde para todos os demais candidatos no segundo turno, com exceção de Marina Silva, da Rede. A margem de erro é de dois pontos para cima ou para baixo e o nível de confiança é de 95%.

Diante do resultado do Ibope, o mercado deve reagir negativamente, não só pelo crescimento de Haddad e estagnação de Bolsonaro, como também pelas simulações de segundo turno, mostrando o deputado sendo derrotado em todos os cenário, fora da margem de erro, e empatando apenas com Marina Silva.

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,29 por cento, a 23.940 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG não teve operações. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,58 por cento, a 2.781 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,90 por cento, a 3.379 pontos.

Na Europa, com os mercados em operação, o DAX, de Frankfurt, opera com ganhos de 0,33% aos 12.391,42 pontos, enquanto que em Londres o FTSE soma 0,46% aos 7.492,95 pontos. Já em Paris, o CAC tem ganhos de 0,31% aos 5.493,14 pontos.

Commodities

A sessão desta terça-feira na bolsa de mercadorias de Dalian, após o feriado da véspera, foi marcada por desvalorização nos contratos futuros do minério de ferro. O ativo com data de vencimento em janeiro de 2019, o de maior liquidez, teve perdas de 1,00%, ou 5 iuanes, encerrando assim o dia a 497,00 iuanes para cada tonelada do produto.

Para o vergalhão de aço, transacionado na bolsa de mercadorias de Xangai, o dia também representou perdas nos preços. O contrato mais negociado, para janeiro do ano que vem, teve desvalorização de 76 iuanes para um total de 4.060 iuanes por tonelada. O segundo contrato mais líquido, para maio de 2019, a queda foi de 78 iuanes a 3.795 iuanes por tonelada.

A sessão também é positiva para os contratos futuros do petróleo. O barril do tipo WTI tem ganhos de 0,67%, o US$ 0,48, a US$ 72,56. Do outro lado do oceano, em Londres, o Brent apresenta valorização de 0,99%, ou US$ 0,80, a US$ 81,33.

Mercado Corporativo

A Petrobras (SA:PETR4) informou nesta segunda-feira que a sua produção de petróleo no Brasil em agosto somou 1,92 milhão de barris ao dia em média, queda de 4,9 por cento na comparação com o mês anterior, devido a paradas programadas para manutenção nas plataformas Cidade de Angra dos Reis e Cidade de Maricá, no campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos.

A estatal ainda informou que pararam para manutenção as plataformas P-25 e P-31, localizadas no campo de Albacora, no pós-sal da Bacia de Campos. Além disso, a produção do mês passado foi afetada pela continuidade da parada da plataforma de Mexilhão.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, a queda na extração de petróleo no Brasil é de cerca de 9 por cento, segundo dados da Petrobras.

O Tribunal de Contas da União (TCU) informou que abriu auditoria para avaliar a atuação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) na regulação e fiscalização do mercado de capitais.

Em comunicado enviado nesta segunda-feira, o presidente do TCU, Raimundo Carreiro, afirmou que "prejuízos aos acionistas minoritários em decorrência de fraudes enfraquecem a confiança da sociedade no mercado de capitais e afastam os investidores de modo geral".

No comunicado, o tribunal citou casos de empresas listadas na bolsa envolvendo JBS (SA:JBSS3), Marfrig (SA:MRFG3), grupo EBX, Oi (SA:OIBR4), Petrobras e Eletrobras (SA:ELET3), empresas cujas ações tiveram fortes quedas nos últimos anos devido a fatores como escândalos de corrupção e má gestão, que podem ter provocado fortes perdas a minoritários.

A PPLA Participations, unidade de investimentos em private equity do BTG Pactual (SA:BPAC11), anunciou nesta segunda-feira que vai descontinuar programa de BDRs e cancelar registro de listagem na bolsa paulista.

Os BRDs são recibos de ações de empresas estrangeiras listados na bolsa paulista. No caso da PPLA, os BRDs representam units, recibos que representam uma combinação de ações classe A e classe B.

Antes conhecido como BTG Participations, o veículo de investimentos teve o nome mudado em setembro do ano passado.

Para levar a operação a cabo, o BTG Pactual fará uma oferta pública para aquisição de units e BDRs (OPA), ainda sem data prevista para acontecer.

A Petrobras representa atualmente cerca de 2 por cento do mercado mundial de combustível para navios (bunker) e vê potencial de crescimento, afirmou nesta segunda-feira o gerente-executivo de Marketing e Comercialização da Petrobras, Guilherme França.

A oportunidade de crescimento, segundo o executivo, está no potencial de aumentar a oferta para navios que chegam à costa brasileira e também devido a regulações globais que estão exigindo uma redução dos percentuais de enxofre em bunker, enquanto a Petrobras já tem essa experiência.

"Temos 12 pontos de suprimento no Brasil... São feitas 11 mil viagens ano na costa brasileira, hoje nós atendemos cerca de 50 por cento dessa frota que passa por aqui, o que representa 4,5 milhões toneladas/ano, e a gente vê potencial de aumentar essa captura até integralmente", afirmou França.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) permanecerá agindo em defesa da abertura do mercado de petróleo e gás no Brasil, estimulando a competição, independentemente de quem vencer as eleições presidenciais, afirmou nesta segunda-feira o diretor-geral da autarquia, Décio Oddone.

O mandato de quatro anos de Oddone, indicado pelo presidente Michel Temer, vence em dezembro de 2020.

"Eu vou continuar mantendo a minha postura. Fazer o que estou fazendo. Mostrar que esse é o caminho do país. A ANP é uma agência de Estado, não é uma agência de governo. Os diretores da ANP tem mandato fixo", disse Odonne, após participar de uma palestra na conferência Rio Oil & Gas.

Agenda de Autoridades

Em viagem oficial para Nova York, o presidente Michel Temer se reúne na parte da manhã com António Guterres, secretário-geral da ONU. Em seguida, participa da abertura da 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas. Após a sessão, tem encontro com Iván Duque, presidente da Colômbia, seguida de reunião com os chefes de estado dos países membros do Mercosul. Na parte da tarde, retorna ao Brasil.

De volta ao Brasil depois de viagem aos Estados Unidos, o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, tem como único compromisso oficial desta terça-feira a participação na reunião eletrônica do Conselho Monetário Nacional.

Com Reuters.