Ibovespa futuro abre em queda de mais de 1% com exterior e cenário eleitoral

out 04, 2018

Após dois dias de altas fortes e consecutivas, o índice futuro do Ibovespa abre a sessão desta quinta-feira com queda de 1,19% aos 82.660 pontos, em dia que é negativo para os mercados financeiros por todo o mundo. Além disso, a preocupação com o cenário eleitoral, em meio a uma nova série de pesquisas, deve nortear os negócios.

Os investidores seguem de olho na vendas dos títulos de longo prazo dos EUA após a fala do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, que indicou que poderá levar os EUA para uma taxa de juros acima da neutra para evitar o sobreaquecimento da economia do país. Com isso, o rendimento dos títulos com vencimento em 10 anos alcançou o maior nível desde 2011 e opera nesta manhã acima dos 3,20%.

O índice japonês Nikkei recuou para a mínima de uma semana nesta quinta-feira já que os investidores realizaram lucros depois de um recente rali que elevou o índice para a máxima de 27 anos, mas a Toyota e o Softbank registraram ganhos depois de anunciarem uma parceria na área de tecnologia de direção autônoma.

Analistas disseram que o sentimento piorou no final da sessão devido à fraqueza das ações asiáticas por preocupações com o aumento dos custos de empréstimos.

"As ações asiáticas enfraqueceram devido ao dólar forte e à alta nos rendimentos dos Estados Unidos, mas a queda do mercado japonês foi apoiada por um iene mais fraco", disse Masashi Oda, gerente geral da Sumitomo Mitsui Trust Asset Management.

A agenda econômica americana não reserva grande relevância para a economia americana, com as atenções dos investidores voltadas para os números do mercado de trabalho (Payroll), que serão divulgados na manhã de sexta-feira.

Faltando poucos dias para o primeiro turno das eleições presidenciais, o mercado dá como certa a disputa em segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). No entanto, alguns movimentos de última hora podem acontecer, como crescimento de uma uma terceira via e até mesmo a vitória no primeiro turno em um movimento de voto útil,

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, se mantém à frente da corrida presidencial e agora soma 32 por cento das intenções de voto, de acordo com pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira que apontou o candidato do PT, Fernando Haddad, com 23 por cento.

No levantamento anterior do instituto, divulgado na segunda-feira, Bolsonaro aparecia com 31 por cento, enquanto Haddad somava 21 por cento.

O levantamento desta quarta mostrou ainda Ciro Gomes (PDT) com 10 por cento --eram 11 por cento na segunda--, Geraldo Alckmin (PSDB) soma 7 por cento --8 por cento na anterior-- e Marina Silva aparece com os mesmos 4 por cento anteriores.

Nos votos válidos, Bolsonaro manteve os mesmos 38 por cento da pesquisa anterior e Haddad somou 28 por cento --ante 25 por cento.

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,56 por cento, a 23.975 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,73 por cento, a 26.623 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC não teve operações. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, não abriu.

Na Europa, com os mercados em operação, o dia se mostra negativo em grande parte das praças. O DAX, de Frankfurt, recua 0,75% aos 12.271,05 pontos, enquanto que em Londres o FTSE perde 0,12% aos 7.442,84 pontos. Já em Paris, o CAC registra queda de 0,98% aos 5.437,79 pontos.

Commodities

Com a continuidade do feriado em comemoração do Dia Nacional da China, mais uma vez não foram realizados negócios com os contratos futuros do minério de ferro, em Dalian, e também do vergalhão de aço (Xangai).

No caso do petróleo, apesar de se manter em patamares elevados, o dia é de leve perdas. O barril do tipo WTI, negociado em Nova York, perde 0,10%, ou US$0,08, a US$ 76,33. Já o Brent, em Londres, recua 0,17%, ou US$ 0,15, a US$ 86,14.

Mercado Corporativo

O grupo varejista francês Casino reiterou que não procedem as informações de que teria contratado uma instituição financeira pra prospectar a venda do Grupo Pão de Açúcar (SA:PCAR4), disse o grupo brasileiro em comunicado na noite de quarta-feira.

Notícias publicadas em jornais brasileiros nos últimos dias afirmam que o varejista francês contratou o banco Rothschild para buscar comprador para o Pão de Açúcar. Nesta quinta-feira, o jornal Valor Econômico disse que o Rothschild sondou pelo menos um investidor brasileiro sobre o interesse em comprar a rede de supermercados brasileira nesta semana.

"O Grupo Casino ratificou à Companhia que não procedem as informações de que teria contratado instituição financeira com o objetivo de prospectar eventuais interessados em adquirir as operações da CBD, sendo por tanto, totalmente infundadas quaisquer notícias vinculadas ao assunto", disse o GPA em comunicado na quarta-feira a noite.

Após o anúncio de que a operadora Porto Seguro (SA:PSSA3) conecta encerrou suas atividades, a empresa disse que a TIM irá assumir a sua base de clientes. A operadora, pertencente ao grupo que atua na área de seguros, entrou no segmento de telecomunicações em agosto de 2013 e chegou a ter cerca de 735 mil assinantes de acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A TIM já operava a infraestrutura de rede da Porto Seguro. De acordo com a nota, com o acordo para a migração da base de clientes para a TIM, será dada continuidade aos planos, serviços e benefícios previstos nos contratos. A empresa disse ainda que a transição será "realizada de forma suave".

"A Porto Seguro e a TIM trabalharão juntas para que você tenha condições similares ou superiores às atuais. Inclusive, o atendimento continuará com o padrão Porto Seguro que você já conhece", diz a nota divulgada pela Porto Seguro.

O consumo de eletricidade no Brasil registrou uma queda de 0,6 por cento no mês de setembro na comparação com igual período do ano passado, de acordo com relatório da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) nesta quarta-feira.

O consumo no mercado regulado, no qual os consumidores são atendidos pelas distribuidoras, recuou 2,2 por cento, enquanto no mercado livre de energia, no qual as empresas compram energia diretamente dos fornecedores, houve um crescimento de 3 por cento.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu nesta quarta-feira abrir investigação sobre práticas das bandeiras de cartões Visa, Mastercard, Elo e American Express, após receber consultas da credenciadora Redecard, do Itaú Unibanco (SA:ITUB4).

Segundo o Cade, a Redecard pediu que a autarquia se manifeste sobre a legalidade de cláusulas contratuais impostas pelas bandeiras que "supostamente estariam obrigando a empresa a obter diversas informações potencialmente sensíveis sobre as atividades de concorrentes".

A investigação será promovida pela Superintendência-Geral da autarquia. "O tribunal (do Cade) entendeu que, por meio do procedimento de consulta, não é possível realizar a devida instrução processual e Nem garantir o direito de ampla defesa das empresas mencionadas pela Redecard", afirmou a autarquia em comunicado à imprensa.

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) decidiu durante reunião nesta quarta-feira desligar as usinas termelétricas fora da ordem de mérito a partir de sábado, informou o Ministério de Minas e Energia (MME) em comunicado.

A decisão foi tomada depois de observada melhora nas condições hidrológicas da região Sul e ofertas competitivas de importação de energia da Argentina e do Uruguai.

Formado por membros do governo e técnicos da área de energia, o CMSE garantiu a suficiência do Sistema Interligado de Energia (SIN), inclusive durante as eleições e a aplicação do Exame Nacional de Ensino Médio que acontecem neste mês, e disse que continuará acompanhando as condições de suprimento do sistema em reuniões semanais.

A Petrobras (SA:PETR4) se posicionou contra minuta de resolução colocada em consulta pública pela agência reguladora do setor de petróleo (ANP), cujo objetivo é dar mais transparência para o setor de combustíveis, alegando que regras propostas trariam "elevada insegurança jurídica, redução da atratividade dos negócios do setor, desestimulo à concorrência".

As declarações constam em documento apresentado à autarquia como parte da audiência pública, lançada em agosto e após a ANP descartar impor ao mercado uma frequência de reajustes de preços de combustíveis.

A consulta busca subsídios e informações adicionais sobre a minuta de resolução que dispõe sobre a obrigatoriedade de apresentação de dados de preços relativos à comercialização de derivados de petróleo, gás natural e biocombustíveis. A nova resolução deverá ser publicada em dois meses, segundo previsões da ANP.

Detentores de Certificados de Recebíveis de Agronegócio (CRAs) da Fibria (SA:FIBR3) aceitaram pedido da companhia para renunciarem a direito de vencimento antecipado dos títulos por conta do processo de incorporação da companhia pela Suzano (SA:SUZB3).

A aprovação da renúncia ocorreu em seis das nove séries dos títulos, envolvendo um total de 3,3 bilhões de reais. Os detentores dos títulos aceitaram a renúncia da declaração de vencimento antecipado depois de oferta da empresa para pagamento de prêmio no valor total de 14 milhões de reais.

"A companhia continua tomando as providências necessárias para a aprovação da renúncia aos direitos de declaração de vencimento antecipados dos CRAs das demais séries", afirmou a Fibria em comunicado ao mercado.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira um acordo com a B3, que pagará 9,44 milhões de reais em troca da suspensão de um inquérito aberto contra ela por supostamente ter criado barreiras contra concorrentes.

O acordo suspende por cinco anos inquérito sobre a fusão entre BM&FBovespa (SA:B3SA3) e Cetip, informou a bolsa paulista em comunicado nesta quarta-feira.

A empresa ainda assumiu compromissos sobre condições de acesso de outras infraestruturas de mercado a serviços de contraparte central e de depositário central oferecidos no mercado à vista de renda variável, segundo o documento.

O inquérito foi aberto a partir de uma denúncia apresentada, em abril de 2016 pela ATS Brasil.

Agenda de Autoridades

O presidente Michel Temer abre a quinta-feira participando da cerimônia de anúncio de Investimentos para o Novo Ensino Médio e Avaliação de Impacto do Programa de Ensino Médio em Tempo Integral. Em seguida, se reúne com o ministro Aloysio Nunes, Relações Exteriores; Embaixador Marcos Galvão, Secretário-Geral das Relações Exteriores; Embaixador João Pedro Costa, Subsecretário-Geral do Serviço Exterior; Embaixador Haroldo Ribeiro, Chefe do Gabinete da Secretária-geral, e Embaixador Eduardo Saboia, Chefe de Gabinete do Ministério das Relações Exteriores.

Na parte da tarde, participa da Sessão solene em homenagem aos 30 anos da Constituição da República de 1988, seguida de lançamento de selo e de carimbo alusivos à data.

Já o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, tem como único compromisso oficial uma audiência com Martin Raiser, diretor do Banco Mundial para o Brasil.