Gol e Azul oscilam perto da estabilidade após prévias operacionais de setembro

out 05, 2018

Em dia marcado pela cautela dos investidores na última sessão antes do primeiro turno das eleições, as ações da Gol (SA:GOLL4) e da Azul (SA:AZUL4) oscilam entre altas e baixas, próximas da estabilidade. No primeiro caso, as perdas são de 0,16% a R$ 12,13, enquanto no segundo a queda é de 1,01% a R$ 24,53.

Como pano de fundo para os resultados, as companhias áreas divulgaram as prévias operacionais de setembro. A Gol informou que registrou queda de 0,5 na demanda por seus voos domésticos em setembro ante o mesmo mês do ano passado, enquanto a Azul reportou alta de 11,7 por cento na mesma base de comparação.

A oferta de voos domésticos da Gol no mês passado avançou 2,4 por cento ante um ano antes. Já a Azul teve alta de 10,6 em sua oferta de voos nacionais no período.

No caso da Gol, com o aumento da oferta e recuo da demanda, a taxa de ocupação em voos domésticos em setembro recuou 2,3 pontos percentuais, para 78,7 por cento. Já a Azul reportou aumento de 0,8 ponto na taxa, para 82,6 por cento.

"Estamos muito satisfeitos com o atual ambiente de demanda no Brasil, que continua melhorando à medida em que nos aproximamos da alta temporada", disse o presidente-executivo da Azul, John Rodgerson, em comunicado.

No mercado internacional, a Gol teve queda de 4,6 por cento na demanda por seus voos em setembro, enquanto a oferta no segmento recuou 2,9 por cento. Já a Azul teve alta de 32,1 por cento na demanda internacional, enquanto a oferta subiu 38,4 por cento.

Com isso, a taxa de ocupação da Gol no segmento internacional cedeu 1,3 ponto percentual, para 73 por cento, e a ocupação da Azul caiu 4,1 ponto, para 85 por cento.

Trimestre

Com os resultados de setembro, a Gol encerrou o terceiro trimestre com alta de 4,2 por cento na demanda por voos domésticos em relação ao mesmo período do ano passado. Já a oferta no período avançou 5,1 por cento, levando a uma diminuição de 0,7 ponto percentual na taxa de ocupação, para 80,2 por cento.

A Azul registrou alta de 14,3 por cento na demanda por voos domésticos no período de julho a setembro ante um ano antes. A oferta na mesma base de comparação subiu 13,1 por cento e a taxa de ocupação avançou 0,9 ponto, para 82,5 por cento.

No segmento internacional, a Gol fechou o terceiro trimestre com queda de 13,5 por cento na demanda e recuo de 6,9 por cento na oferta. A ocupação cedeu 5,4 pontos, para 69,9 por cento.

Já a Azul registrou aumento de 40,4 por cento na demanda por seus voos internacionais no período de julho a setembro ante um ano antes. Na mesma base de comparação, a oferta de voos internacionais da empresa avançou 42,6 por cento, resultando em um recuo de 1,4 ponto na ocupação, para 87,4 por cento.

A Gol divulga resultados trimestrais em 1 de novembro e a Azul deve publicar seu balanço na semana seguinte.

Com Reuters.