Futuros do Ibovespa iniciam a terça-feira desvalorização

set 18, 2018

Investsing.com - Após a forte alta de ontem, o índice futuro do Ibovespa inicia a sessão desta terça-feira com desvalorização de 0,16% aos 77.025 pontos, seguindo a tendência das bolsas internacionais. O mercado segue atento às disputas comerciais entre Estados Unidos e China, bem como para a corrida eleitoral brasileira.

O iuan recuou nesta terça-feira depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que Washington vai impor tarifas sobre mais 200 bilhões de dólares em importações chinesas, provocando forte repreensão e com declarações de Pequim de que será obrigada a retaliar.

A intensificação das disputas comerciais entre as duas maiores economias mundiais causou alguma agitação nas ações chinesas no início do pregão. O Ministério do Comércio da China respondeu em comunicado que Pequim não tem escolha senão reagir e que espera que os Estados Unidos "corrijam" seu comportamento.

A agenda americana não reserva indicadores de destaque para a terça-feira.

Na cena local, as atenções devem mais uma vez se voltar para a corrida presidencial e a expectativa pela divulgação de novas pesquisas eleitorais, que podem confirmar a tendência do segundo turno entre os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) acelerou a alta a 1,34 por cento na segunda prévia de setembro, de 0,67 por cento no mesmo período do mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta terça-feira.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo desacelerou a alta a 0,30 por cento na segunda quadrissemana de setembro, sobre 0,40 por cento na primeira leitura do mês, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta terça-feira.

O IPC-Fipe mede as variações quadrissemanais dos preços às famílias paulistanas com renda mensal entre 1 e 10 salários mínimos.

Indicador de Intenção de Investimentos da Indústria, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 3,1 pontos no terceiro trimestre deste ano em relação ao trimestre anterior. Com a segunda queda consecutiva, o indicador atingiu 113 pontos em uma escala de zero a 200 pontos, o menor nível desde o terceiro trimestre do ano passado (105,1 pontos).

O indicador busca antecipar as tendências econômicas no país a partir da disseminação do ímpeto de investimento entre as indústrias.

Apesar da queda, o indicador se mantém acima dos 100 pontos, nível em que a proporção de empresas que preveem investir mais nos próximos 12 meses supera a parcela daquelas que pretendem investir menos.

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 1,41 por cento, a 23.420 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,56 por cento, a 27.084 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 1,82 por cento, a 2.699 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 2,01 por cento, a 3.269 pontos.

Na Europa, com os mercados abertos, o dia é positivo para os índices acionários. Em Frankfurt, o DAX tem ganhos de 0,17% ais 12.117,16 pontos, enquanto que em Londres o FTSE soma 0,02% aos 7.303,00 pontos. Já em Paris, o CAC apresenta avanço de 0,18% aos 5.358,63 pontos.

Commodities

A sessão desta terça-feira, na bolsa de mercadorias de Dalian, na China, foi marcada pela valorização dos contratos futuros do minério de ferro. Os ativos com vencimento em janeiro do próximo ano encerram o dia com alta de 1,10% a 507,00 iuanes por tonelada, o que representa uma variação diária de 5,50 iuanes.

A jornada também foi positiva no caso dos contratos futuros do vergalhão de aço, que são negociados na bolsa de mercadorias de Xangai. O ativo de maior liquidez, para janeiro de 2019 apresentou ganhos de 56 iuanes para um total de 4.166 iuanes por tonelada. Já o ativo mais curto, para outubro, apresentou valorização de 47 iuanes, para um total de 4.541 iuanes por tonelada.

O barril do petróleo segue a tendência da alta nos mercados internacionais. O barril do tipo WTI, referência de Nova York, tem ganhos de 1,24%, ou US$ 0,85, a US$ 69,53. Já em Londres, o Brent tem valorização de 1,18%, ou US$ 0,92, a US$ 78,97.

Mercado Corporativo

O conselho de administração da International Meal Company (SA:MEAL3) Alimentação, dona das redes Frango Assado e Viena, decidiu rescindir acordo de associação com a Sapore, empresa de refeições corporativas, de acordo com fato relevante divulgado na noite de segunda-feira.

A decisão de cancelar o acordo de fusão, anunciado em junho, ocorreu após realização de auditoria prevista no acordo, quando, segundo a IMC, as condições suspensivas previstas no acordo de não foram implementadas.

"Diante disso, e considerando que não houve consenso com os representantes da Sapore quanto a certas questões identificadas na auditoria, o conselho de administração da IMC, visando a preservar o interesse da companhia e de seus acionistas, se reuniu nesta data e deliberou rescindir o acordo de associação nos termos ali previstos", disse a IMC em fato relevante.

O conselho de administração da Brasil Pharma (SA:SA:BPHA3) se manifestou favoravelmente ao plano de recuperação revisado da companhia, que contempla a possibilidade de venda da rede de Drogarias Farmais, informou a empresa em comunicado na noite segunda-feira.

A inclusão da possibilidade de venda da Farmais foi apresentada por credores em reunião realizada no último dia 6 de setembro e aceita pelo conselho em reunião na segunda-feira.

Além da venda da rede Farmais, o plano de recuperação revisado também prevê foco na manutenção da operação de franquias de varejo farmacêutico, dada sua baixa necessidade de capital de giro e reduzido custo de expansão, para desenvolver operações nas regiões Norte e Nordeste, por meio de franquias das bandeiras Farmácias Santana e Drogarias Big Benn, cujas marcas têm grande força regional, disse a empresa.

O Wall Streel Journal, citando fontes, publicou que a Natura (SA:NATU3) procurou recentemente a Avon para uma possível aquisição do negócio.

A notícia chega poucas semanas após a Avon ter divulgado um inesperado prejuízo trimestral, sob impacto da greve dos caminhoneiros no Brasil no fim de maio, que atrasou embarques, enquanto a empresa contratou menos representantes de vendas, fazendo as ações caírem 10 por cento.

O presidente-executivo da Avon, Jan Zijderveld, tem tentado transformar a icônica marca de cosméticos que enfrentou uma série de problemas, incluindo queda nas vendas e pressão dos acionistas. A ação que foi negociada acima de 10 dólares menos de quatro anos atrás agora valem um quinto disso.

A Suzano (SA:SUZB3) anunciou ter precificado nesta segunda-feira uma captação de um bilhão de dólares em bônus no mercado internacional, como parte dos esforços para pagar a compra da rival Fibria (SA:FIBR3).

As notas, com vencimento em 2029, embutem rentabilidade ao investidor de 6,125 por cento ao ano e cupom de 6 por cento, que serão devidos e pagos semestralmente.

Acionistas da Suzano e da Fibria aprovaram na quinta-feira em assembleias gerais extraordinárias, a proposta de fusão anunciada por ambas em março, que criou a maior produtora de celulose do mundo.

Agenda de Autoridades

A terça-feira do presidente Michel Temer tem início com uma reunião com o deputado Carlos Bezerra (MDB/MT). Em seguida, recebe a delegação da Câmara dos representantes dos EUA, chefiada pelo deputado Ed Royce, presidente do Comitê de Relações Exteriores da Câmara, e integrada pelos deputados Marha Roby, Norma Torres, Alex Monney e Terri Sewell. Ao final do dia, Temer participa da Cerimônia da 27ª edição do prêmio Anamaco.

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, começa o dia participando do Seminário Sefel: Agenda de Governo no setor de energia: aspectos regulatórios e concorrenciais. Na parte da tarde, estará presente na 118ª Reunião do Conselho de Ministros da Camex. Em seguida, tem reunião com Valter Casimiro, Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil.