Fique por dentro de 5 principais notícias do mercado desta quinta-feira

out 04, 2018

Confira as cinco principais notícias desta quinta-feira, 04 de outubro, sobre os mercados financeiros:

1. Venda de títulos do Tesouro americano continua

Venda de títulos da dívida do governo americano continuou pelo segundo dia na quinta-feira, colocando o rendimento das notas do Tesouro de 10 anos nos níveis mais altos vistos pela última vez desde 2011.

O rendimento de referência subiu 1,66% para 3,214% às 06h55 após saltar quase 4% na sessão anterior.

O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, ficou em 95,58, depois de atingir a alta de 95,78, a maior alta desde 20 de agosto.

A derrota nos títulos do tesouro veio depois de robustos dados econômicos nos EUA e comentários do presidente do Federal Reserve Jerome Powell na quarta-feira que reforçaram as expectativas de que o Fed deve elevar as taxas de juros novamente em dezembro e além disso.

A atividade do setor privado nos EUA acelerou para uma alta de 21 anos em setembro e outro relatório mostrou que as contratações do setor privado aumentaram no ritmo mais rápido em sete meses em setembro.

2. Wall Street está preparada para abrir nitidamente em baixa

O mercado futuro dos EUA apontaram queda abrupta em Wall Street, já que o aumento nos rendimentos do Tesouro e as expectativas para futuros aumentos das taxas do Federal Reserve dominaram o ânimo do mercado.

Os futuros do S&P 500 caíam 0,48% enquanto os futuros do Dow recuavam 0,43% e o índice futuro de tecnologia NASDAQ 100 caía 0,64%.

O comércio na Europa foi fraco, ccom todos os índices no vermelho, enquanto as ações de produtos de consumo e de saúde eram arrastados pelos mercados.

Enquanto isso, na Ásia, as ações da China continental foram fechadas esta a semana para um feriado nacional. Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 1,73%, enquanto no Japão, o TOPIX fechou em queda de 0,09% e o Nikkei 225 perdeu 0,61%.

3. Preços do petróleo recuam de máxima de quatro anos

Os preços do petróleo recuaram da máxima de quatro anos um dia após dados apontarem para a maior crescimento em estoques de petróleo bruto desde março de 2017 e informações de que a Rússia e a Arábia Saudita chegaram a um acordo privado em setembro para aumentar a produção de petróleo.

Os futuros negociados em Londres Petróleo bruto caíam 0,21%, para US$ 86,11 o barril em seu último fechamento, recuando em relação à alta de US$ 86,74 alcançada na quarta-feira, a maior desde novembro de 2014.

Os preços brutos nos EUA caíram 0,21%, para US$ 76,25, não muito longe dos picos de quatro anos de quarta-feira, de US$ 76,89.

Os estoques de petróleo subiram quase 8 milhões de barris na semana passada, de acordo com um relatório Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês).

Separadamente, a Reuters informou que a Rússia e a Arábia Saudita concordaram em particular no mês passado em aumentar a produção de petróleo, com os preços do petróleo chegando perto dos US$ 80, antes de consultar a OPEP - Organização dos Países Exportadores de Petróleo.

Os preços do petróleo estão em alta, atingindo picos de quatro anos nesta semana, em meio a expectativas de mercados mais apertados a partir do próximo mês, enquanto os EUA. preparam-se para impor novamente sanções ao Irã, atingindo as exportações de petróleo do país.

4. Divulgação de resultados da Costco, Constellation Brands

A Constellation Brands (NYSE:STZ), fabricante da cerveja Corona, estará em foco ao liberar seu relatório financeiro antes da abertura. Os analistas estão prevendo um lucro de US$ 2,61 por ação, com vendas de cerca de US$ 2,25 bilhões.

Os investidores também estarão procurando detalhes de seu investimento no setor de cannabis. Em agosto, a empresa de bebidas investiu cerca de US$ 3,8 bilhões na empresa de maconha medicinal Canopy Growth.

Enquanto isso, a Costco Wholesale (NASDAQ:COST) também deve divulgar seus lucros após a abertura, com analistas prevendo ganhos de US$ 2,36 por ação sobre vendas de cerca de US$ 44 bilhões.

5. Pedidos de seguro-desemprego e discursos do Fed em pauta

Depois de números de folha de pagamento privados melhores do que o esperado, os investidores estão olhando para os números de pedidos de seguro desemprego antes do relatório do governo sobre as folhas de pagamento não-agrícola para setembro que será divulgado nesta sexta-feira.

Empregadores do setor privado dos EUA adicionaram 230.000 empregos em setembro, muito mais do que o esperado, de acordo com um relatório do processador de folha de pagamento ADP na quarta-feira.

Os pedidos iniciais de seguro-desemprego serão divulgados às 9h30. Os economistas esperam que os pedidos semanais de seguro desemprego pela primeira vez, caíam para {{ec-294||211.000}} em comparação com a semana anterior.

Enquanto isso, o vice-presidente do Federal Reserve, Randal Quarles, falará no Comitê Bancário do Senado sobre "Implementação do Ato Regulatório de Crescimento Econômico e Proteção ao Consumidor" às 10h15.