Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quinta-feira

mai 03, 2018

Investing.com - Confira as cinco principais notícias desta quinta-feira, 3 de maio, sobre os mercados financeiros:

1. Início das negociações comerciais entre EUA e China em Pequim

Dois dias de negociações comerciais tensas entre EUA e China com Steven Mnuchin, secretário do Tesouro dos EUA, e Liu He, vice-premiê da chinês, deverão começar nesta quinta-feira em Pequim.

Wilbur Ross, secretário de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, representante de comércio do país, além de Larry Kudlow e Peter Navarro, assessores da Casa Branca, estão entre autoridades norte-americanas que também participam das reuniões.

As negociações ocorrem após o presidente Donald Trump ter proposto novas tarifas sobre produtos chineses e Pequim ter respondido com um conjunto de taxas que poderiam potencialmente ser aplicadas também aos produtos dos EUA.

A China gostaria de obter um resultado positivo das negociações comerciais com os EUA, mas está totalmente preparada para todos os resultados e não negociará os interesses centrais, disse uma autoridade do governo chinês na quarta-feira.

O resultado mais provável é um acordo para continuar com as negociações, com a administração Trump mantendo sua ameaça de avançar com as tarifas punitivas sobre produtos chineses, dizem especialistas em comércio.

2. Atenções voltadas a dados norte-americanos após Fed manter política monetária

A atenção do mercado agora se volta para os próximos dados econômicos após o Federal Reserve ter feito pouco para alterar as expectativas de novos aumentos das taxas de juros neste ano.

O Fed manteve as taxas de juros inalteradas após sua reunião de política na quarta-feira, um movimento que era amplamente esperado, e observou que a inflação estava começando a subir, deixando o caminho para aumentar os custos de crédito em junho.

O calendário econômico estará cheio nesta quinta-feira, com o relatório semanal sobre pedidos iniciais de seguro-desemprego, bem como as leituras sobre produtividade do trabalhador e da balança comercial têm previsão de divulgação às 09h30.

Um estudo sobre a atividade do setor de serviços e um relatório sobre encomendas à indústria estão previstos para as 11h00.

O maior relatório econômico da semana, no entanto, não será conhecido até a manhã de sexta-feira, quando os números mensais de empregos serão divulgados.

O dólar caía e perdia parte de seus ganhos recentes, enquanto os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA estavam menores.

3. Outro dia cheio de resultados

Balanços corporativos notáveis esperados na manhã desta quinta-feira incluem os de Kellogg (NYSE:K), Teva (NYSE:TEVA), Blue Apron (NYSE:APRN), Cigna (NYSE:CI), DowDuPont (NYSE:DWDP), New York Times (NYSE:NYT), e WWE (NYSE:WWE).

Após o fechamento, resultados de CBS (NYSE:CBS), Overstock.com (NASDAQ:OSTK), Weight Watchers (NYSE:WTW), Herbalife (NYSE:HLF), Shake Shack (NYSE:SHAK), Activision Blizzard (NASDAQ:ATVI), Universal Display (NASDAQ:OLED), Pandora (NYSE:P), GoPro (NASDAQ:GPRO), Arista Networks (NYSE:ANET), Sierra Wireless (TO:SW), e Cardinal Health (NYSE:CAH) estarão na agenda.

Os resultados da Tesla (NASDAQ:TSLA) também estarão em foco após Elon Musk, diretor-geral da empresa, ter interrompido analistas questionando lucros potenciais no relatório do primeiro trimestre da empresa, fazendo com que as ações caíssem 4% após o pregão, apesar das promessas de que a produção do problemático veículo Model 3 estaria no caminho certo.

Enquanto isso, ações do Spotify (NYSE:SPOT) chegavam a cair 10% na sessão estendida após a divulgação de seu primeiro balanço corporativo desde o IPO no mês passado, apresentando um prejuízo menor do que o esperado, mas receitas que não atenderam expectativas e diretriz decepcionante.

Ações da Square (NYSE:SQ) caíam mais de 6% antes da abertura após a fraca diretriz de lucros da empresa ter decepcionado os investidores.

4. Mercado futuro dos EUA aponta para abertura em alta

O mercado futuro dos EUA apontava para uma abertura em leve alta, já que investidores se preparavam para outro dia cheio de resultados e dados econômicos.

O índice blue chip futuros do Dow ganhava 35 pontos, ou cerca de 0,2%, os futuros do S&P 500 avançavam 4 pontos, ou quase 0,2%, enquanto o índice futuro de tecnologia Nasdaq 100 tinha alta de 9 pontos ou cerca de 0,1%.

As bolsas fecharam em baixa na quarta-feira, com o Dow perdendo em torno de 175 pontos.

Do outro lado do Atlântico, na Europa, as principais bolsas do continente estavam majoritariamente em baixa em um dia dominado por atualizações de resultados.

Mais cedo, na Ásia, os mercados na região fecharam em diferentes direções, acompanhando a direção nada inspiradora de Wall Street durante a noite.

5. Inflação da zona do euro cai inesperadamente em abril

A inflação na zona do euro caiu inesperadamente em abril, o que dificulta ainda mais a possibilidade de que o Banco Central Europeu comece a reduzir seu programa de estímulo nos próximos meses.

O crescimento do preço ao consumidor desacelerou para 1,2% no mês passado, informou o escritório de estatísticas da União Europeia, enquanto a taxa de núcleo caiu para 0,7%, a menor em mais de um ano.

Ambas as leituras ficaram mais baixas do que os economistas previam.

O euro festava pouco acima de 1,1970 em relação ao dólar, mas permanecia ainda próximo da mínima de quatro meses atingida na quarta-feira.