Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quarta-feira

jul 18, 2018

Confira as cinco principais notícias desta quarta-feira, 18 de julho, sobre os mercados financeiros:

1. Powell de volta ao Capitólio

Investidores aguardam uma segunda aparição do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, depois que os comentários que ele fez na terça-feira reforçaram as opiniões de que o banco central está a caminho de aumentar as taxas de juros.

Ele deve depor em perante à Comissão de Serviços Financeiros da Câmara às 11h00.

Em seu primeiro dia de depoimento à Comissão de Atividades Bancárias do Senado na terça-feira, Powell manteve uma avaliação otimista sobre a economia dos EUA, ao mesmo tempo que minimizava o impacto dos riscos do comércio global sobre as perspectivas de aumento das taxas.

Esses comentários destacaram as expectativas dos mercados financeiros de que mais dois aumentos de taxa estão vindo do Fed este ano.

Além de Powell, o calendário econômico trará aos investidores os dados de junho sobre construção de casas novas e alvarás de construção, às 09h30. O Fed também divulga seu livro bege sobre a economia às 15h00.

2. Morgan Stanley e IBM em destaque entre os balanços

Entre os resultados a serem divulgados nesta quarta-feira, os participantes do mercado se concentrarão nos números do segundo trimestre do Morgan Stanley (NYSE:MS), que serão apresentados às 08h00. Os analistas estão prevendo lucros por ação de US$ 1,11 com receita de US$ 10,05 bilhões. O mesmo período do ano passado teve US$ 0,87 em lucro por ação e US$ 9,5 bilhões em receita.

Pela manhã, também são esperados os resultados de US Bancorp (NYSE:USB), M&T Bank (NYSE:MTB), Northern Trust (NASDAQ:NTRS), Textron (NYSE:TXT), e Abbott Laboratories (NYSE:ABT).

Após o fechamento, resultados de IBM (NYSE:IBM) e American Express (NYSE:AXP) estarão em destaque, junto com eBay (NASDAQ:EBAY).

Investidores também se concentrarão em Bruxelas e nas ações da Alphabet (NASDAQ:GOOGL), matriz do Google. Informações divulgadas pela imprensa sugerem que a gigante de tecnologia americana receberá uma multa regulamentar de US$ 5 bilhões uma vez que a Comissão Europeia apresenta os resultados de uma investigação de oito anos no sistema operacional Android para telefones celulares.

3. Mercado futuro dos EUA apontava para uma abertura em leve alta

O mercado futuro dos EUA apontava para uma abertura ligeiramente em alta, já que investidores aguardam o último lote de resultados corporativos e mais observações feitas pelo presidente do Fed, Jerome Powell.

Às 06h30, o índice blue chip futuros do Dow subia 23 pontos, ou cerca de 0,1%, ao passo que os futuros do S&P 500 e o índice de tecnologia de futuros do NASDAQ 100 estavam prontos para abrir pouco alterados a partir da sessão anterior.

As bolsas dos EUA fecharam em alta na terça-feira, com o Nasdaq composite registrando alta recorde graças aos fortes ganhos da Amazon (NASDAQ:AMZN) e uma recuperação nas ações da Netflix (NASDAQ:NFLX).

Já na Europa, a maior parte das bolsas do continente negociava em alta no pregão de metade da manhã, com quase todos os setores em território positivo.

Mais cedo, bolsas asiáticas fecharam em diferentes direções após os ganhos mais firmes vistos anteriormente terem se desvanecido ligeiramente.

4. Otimismo de Powell impulsiona rali do dólar

Longe das ações, o dólar estendia seu rali na sequência de comentários otimistas de Powell sobre a força da economia dos EUA e as perspectivas para futuros aumentos das taxas de juros.

O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, avançava 0,3% para 95,00, não muito distante de 95,25, máxima de 12 meses atingida no final de junho.

Em relação ao iene, o dólar subia para 113,14 (USD/JPY), o nível mais forte desde 9 de janeiro.

O euro caía à mínima de mais de duas semanas de 1,1608 (EUR/USD).

A libra britânica caía à mínima de 10 meses de 1,3011 (GBP/USD), uma vez que dados da inflação inesperadamente fracos diminuíram as chances de um aumento dos juros do Banco da Inglaterra em agosto.

Enquanto isso, no mercado de títulos, os preços dos títulos do Tesouro dos EUA estavam pouco alterados, com o rendimento do título do Tesouro dos EUA com vencimento em 10 anos estável em 2,86%, ao passo que o título com vencimento em 2 anos, sensível ao Fed, em 2,61%.

O aumento do dólar dos EUA, juntamente com as taxas de juros mais altas dos EUA, causou problemas para a ouro, que caía em importantes gráficos de suporte a atingia a mínima de um ano.

5. Cotação do petróleo em alta antes de dados dos estoques norte-americanos

A Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês), divulgará seu relatório semanal oficial dos estoques de petróleo referente à semana encerrada em 6 de julho às 11h30 em meio a expectativas de redução em torno de 3,6 milhões de barris.

Após os mercados fecharem na terça-feira, o Instituto Americano de Petróleo (API, na sigla em inglês) afirmou que os estoques de petróleo dos EUA tiveram aumento de 629.000 barris na semana passada.

O petróleo bruto West Texas Intemediate recuava US$ 0,50, ou cerca 0,7%, para US$ 66,67 o barril, mínima de quase um mês.

Os contratos futuros de petróleo Brent recuavam US$ 0,60, ou 0,8%, para US$ 71,57 o barril após terem batido em US$ 71,23, mínima de três meses.